Admirável Fama

Caiu de forma abrupta. Apenas uma vitória nos últimos oito jogos – Curiosamente na recepção ao Sporting. Contudo, não haverá outra equipa na Liga que tenha revelado mais talento. Conotada como uma equipa de posse, não é tanto por se alongar quando tem a bola que o Famalicão é uma equipa perigosa e faz realçar os atributos dos seus jogadores. Na realidade, a média de posse ao longo da Liga é de “apenas” 51%, e sua média de 12 remates por jogo surge maioritariamente em situações de Contra Ataque, onde soma jogadas perigosas e golos – De trabalho de casa e com muito talento individual que se expressa melhor na ideia do seu treinador.

Partindo habitualmente de uma Organização Defensiva em 4x1x4x1, também já experimentou o 4x4x2 de forma estratégica, curiosamente na única partida que venceu recentemente, guardando Fábio Martins como referência para receber por dentro e acelerar o jogo com a chegada das motas dos corredores laterais.

A forma “fácil” com que cria permitiu desvendar qualidades de diversos jogadores:

Uros Racic – 22 anos

O perna longa que soma recuperações da posse seja por desarme ou intercepção e que posteriormente assume enorme preponderância no início dos ataques rápidos da sua equipa.

Pedro Gonçalves – 21 anos

Interior com velho estilo de “número 10”, já antes abordado aqui.

Diogo Gonçalves – 23 anos

Formado no SL Benfica, Diogo é um extremo de grande potencia e remate fácil – Depois de ausência longa na primeira parte da temporada, assumiu importância nas saídas rápidas do Famalicão por ser um jogador muito vertical e de excelente capacidade de finalização aquando dos momentos em que chega de trás mesmo em condução. Uma possível adaptação à lateral direita para regressar ao Benfica foi em tempos explorada.

Fábio Martins – 26 anos

O elemento de maior maturidade do Famalicão, e o toque de classe que qualquer equipa necessita. Partiu para a temporada como extremo esquerdo e foi sempre o principal criador da equipa de João Pedro. A qualidade com que decide o ritmo de cada lance, bem expressa na forma como acelera ou pausa o jogo quando se esgotam possibilidades para sair rápido, levou-o ao corredor central em jogos mais recentes.

Nehuén Perez – 19 anos

Capitão da selecção sub 20 da Argentina no último Mundial, no seu primeiro ano de sénior, Perez demonstrou em Portugal o potencial que o levará a Ligas mais competitivas – Na realidade, já é jogador do Atletico Madrid.

Imponente fisicamente e com destreza motora para enfrentar os duelos, destaca-se também pela qualidade com bola – Tem uma diagonal fantástica que possibilita que extremos consigam situações com espaço, e ainda encontra bem colegas nas costas dos médios, sempre através da sua bola tensa.

Referência ainda para as revelações:

Gustavo Assunção (19 anos), Rúben Lameiras (25 anos), Guga (22 anos) e o goleador Toni Martinez (22 anos)

Conteúdos exclusivos na página de Patronos (aqui)

Por um valor simbólico (a partir de 1 Euro / mês) não só tem acesso a novos conteúdos, como dá uma preciosa ajuda ao projecto a pagar os softwares de análise. Muito obrigado!

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*