Ivo Vieira – Ideias fortes

Ivo Vieira, o treinador do Vitória Sport Clube que tantos bons jogos tem proporcionado na presente época, e que tão boa impressão tem deixado no jogar das diferentes equipas que tem orientado, falou sobre o que são as suas ideias e convicções, em mais um momento de grande partilha no Quarentena da Bola por Rémulo Jónatas.

Aqui ficam algumas ideias fortes:

Nunca alterei a minha identidade, a minha ideia de jogo, apenas me vou ajustando às realidades de cada clube. Nunca vou abdicar dos meus princípios como treinador e pessoa.”

Os meus períodos de preparação são iniciados sempre pelo processo ofensivo porque eu tenho que entrar na cabeça dos jogadores e dizeres lhe para o que é que vou.”

“O jogador tem que olhar e sentir que o Treinador não tem dúvidas… E aí o jogador fica desarmado. Adoro que os meus jogadores possam discutir momentos do treino comigo porque estou preparado e não há jogador meu que faça uma questão e eu não tenha resposta. Quando houver dúvidas, vai-me fazer crescer e refletir sobre o treino.”

“Tive na Académica e a Académica andou 10 anos a jogar para não perder. Tinha um central que passava e caminhava no campo e eu expliquei-lhe que se passava e corria para a equipa ir junta. Isto é um trabalho que exige tempo e o seu reflexo demora..”

Ter alternância entre ideias e ser camaleónico é negativo, se for sistema tudo bem e adaptar-se ao adversário perfeito, mas não posso alterar aquilo que sou como pessoa.”

“Há duas formas para se estar no Futebol, ou acreditamos naquilo que somos e lutamos por aquilo que queremos e vamos para casa na mesma ou fazemos aquilo que os outros querem que façamos e vamos para casa na mesma e este é o pior sentimento no futebol.”

“Muitas vezes se fala no último terço que é difícil de treinar, mas sou apologista de criar rotinas e exercícios para procurar espaços. No entanto, acho que a criatividade e qualidade dos atletas no ultimo terço é fundamental porque é raro se resolver jogos no último terço.”

“O Jogo tem tantas variáveis que a tomada de decisão de cada um e o comportamento de todos eles é que vai ditar se eles vão procurar o espaço ou o pé. Não quero que eles estejam formatados, têm de perceber o que o o jogo vai ditar.”

“Não podes dar a alguns atletas aquilo que eles não tem porque nunca ninguém vai dar ao Pepe, que tem muita qualidade, aquilo que o Mikel tem… Quando o Pepe tiver aquilo que o Mikel tem, ele vai perder tudo aquilo que é.”

“Hoje, não se pode dar ao luxo de defender com menos 1… Só peço aos criativos para se posicionarem e isso é uma forma de os libertar.”

“Na observação ao adversário, é muito importante perceber o momento do adversário, aquilo que o adversário pretende e aquilo que vou encontrar.”

“Normalmente, na preparação de um jogo, preparo duas ou três situações. Por exemplo, coloco o adversário num bloco baixo num primeiro momento e a apostar no momento de transição ofensiva e posteriormente, essa mesma equipa passa pressionar mais alto para nos surpreender.”

”Eu consigo que o Vitória crie oportunidades de golo, mas não as consigo finalizar..”

Conteúdos exclusivos na página de Patronos (aqui)
Por um valor simbólico (a partir de 1 Euro / mês) não só tem acesso a novos conteúdos, como dá uma preciosa ajuda ao projecto a pagar os softwares de análise. Muito obrigado!


Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*