Santa Clara e Vitória: os detalhes estratégicos que pararam os grandes

No regresso do campeonato, Sporting CP e Sporting de Braga perderam pontos nos terrenos de Vitoria SC (2-2) e Santa Clara (3-2 em campo emprestado). As duas equipas visitadas surpreenderam os favoritos com mais duas boas exibições, onde Ivo Vieira e João Henriques voltaram a mostrar a sua competência e qualidade na preparação dos jogos.

Ambas as equipas alteraram ligeiramente o seu plano habitual para preparar a recepção a duas equipas que atacam num 3-4-3, algo que condiciona bastante a organização defensiva de equipas que, como a maioria no nosso campeonato, estão habituadas a jogar contra sistemas de 4 defesas.

Do lado esquerdo podemos ver o que provavelmente aconteceria caso o Vitória mantivesse a sua estratégia em OD no 4-3-3, e no lado direito vemos como Ivo Vieira preparou a equipa para ter mais segurança no corredor central e no espaço à frente da linha defensiva

O Vitória voltou a utilizar uma nuance que já tinha apresentado esta época. Em organização defensiva, e parar poder parar e marcar os três avançados do Sporting da melhor maneira, Pêpê juntou-se aos dois defesas centrais para poder libertar Venâncio e Bondarenko no acompanhamento aos movimentos constantes de Vietto e Jovane Cabral:

Já o Santa Clara alterou o seu tradicional losango, exemplar e raro na nossa liga, para um 4-3-3 que já tinha sido utilizado em alguns momentos durante jogos desta época. O 4-3-3 permitiu ao Santa Clara encaixar os seus médios centro nos centrais exteriores do Braga, deixando os extremos acompanharem os alas dos bracarenses para garantir, pelo menos, igualdade numérica no corredor.

Do lado esquerdo podemos ver o que provavelmente aconteceria caso o Santa Clara mantivesse a sua estratégia em OD no 4-4-2 losango, com muito espaço para o Braga explorar por fora. No lado direito vemos como João Henriques preparou a equipa para ter mais segurança nos corredores laterais e poder pressionar os centrais do Braga
Follow
Follow
Avatar
Sobre RobertPires 6 artigos
Rodrigo Carvalho. 23 anos, experiência como treinador adjunto e analista em equipas séniores em Portugal e nos Estados Unidos. Passou pela Federação de Futebol dos Estados Unidos no departamento de Formação de Treinadores. Em colaboração com a Proscout, trabalhou diretamente com equipas técnicas profissionais e produziu relatórios de jogadores. Podem seguir muito do seu trabalho em @rodrigoccc97 no Twitter.

2 Comentários

  1. Excelente análise. Sobre o Pêpê, acho que deu um salto qualitativo incrível, está um jogador completo. Terá uma oportunidade no Benfica?

  2. Como treinador de futebol de formação esse site é muito rico para um treinador que quero crescer r desenvolver as suas competencias

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*