Cristiano Ronaldo e João Felix, “Flopando” maravilhosamente

Absolutamente encantador o nível a que João Felix se apresentou nas duas partidas da selecção portuguesa. Ainda melhor com bola do que o nível habitual – E oh se esse nível é bem alto – não perdeu uma bola por mais curto que fosse o espaço, por maior número ou mais agressiva que tivesse ou fosse a oposição. Deu lições sobre como dar fluidez ao ataque em todas as situações. E a defender? A disponibilidade para fechar todo o corredor? Cada vez mais completo e preparado para seguir em direcção ao topo do futebol mundial. Sim, eu sei que vocês preferiam vê-lo noutra equipa que pudesse brilhar – Eu prefiro que esteja num espaço que mesmo que não lhe permita essa notoriedade toda, o prepare para aos 22 ou 23 estar próximo da perfeição e ser melhor jogador do que o que seria com menos responsabilidades.

Contra a Suécia juntou-se-lhe o incrível Cristiano Ronaldo. E o capitão não foi apenas dois golos (ou golões) – E poderia ter sido, só isso já seria suficiente para ser o homem do jogo – mas, foi também mais um elemento para combinar, para dar a tal fluidez ofensiva. Para ajudar a resgatar um carrossel marca portuguesa de outros tempos, expressa em combinações ofensivas rápidas, inteligentes e assertivas tecnicamente. Cristiano altruísta, sem pudores ou problemas em ver dar aos colegas o jogo que eles querem – No fim do dia, sairá ele e Portugal beneficiados.

Poderiam os suecos encurralar a dupla em quantas cabines telefónicas conseguissem criar, que de lá sairão sempre vivos… e de boa saúde, prontos para acelerar e criar o jogo ofensivo os dois lusos.

Está cada vez mais difícil fazer birra enquanto se garante que estamos em presença de Flop(s). Mas, para aqueles que ainda assim pensam, acrescentei uns bonecos para melhor entendimento:

Já és nosso Patrono? A caminho dos 400 ❤️🧠⚽️
Por 1$ mês acesso a conteúdo exclusivo:

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3735 artigos
Pedro Bouças - Licenciado em Educação Física e Desporto, Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, bem como participado em 2 edições da Liga dos Campeões em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã", e Co-autor do livro "O Efeito Lage", ambos da Editora PrimeBooks Analista de futebol no Canal 11 e no Jornal Record.

12 Comentários

  1. Grande boneco Bouças!

    Tens que te impor mais no 11 pá! Às vezes nota-se que tens coisas relevantes para dizer e que te cortam a palavra e quem fica a perder é quem está a assistir!

  2. Comecei a ler o comentário e, pelas primeiras linhas, pareceu-me humorístico, mas…

    Bem, todos nós temos o direito aos nossos fétiches, pelo que a apreciação exacerbada é… uma opinião, apenas isso. Contudo, com ou sem fétiche, colocar Cristiano e o Félix em idêntico patamar não será um exagero “exagerado”?

  3. Maldini,
    Sabemos que estes vídeos têm a característica de darem enfoque ao que se preferir dar.
    Se quisermos que o debate não acabe apenas por ser um tentar abafar alegadas birras com outras birras, seria melhor fazeres também um vídeo onde se possam ver as más decisões do Ronaldo em zonas onde o Bernardo e/ou o Felix decidem bem melhor e também as reações à perda de bola, recuperações defensivas, etc, que comprometem pela cedência de espaços. Aspetos estes que farão falta em jogos mais difíceis. Se França quiser encarar esta competição com tudo, precisaremos de estar a outro nível, embora tenhamos dado bons sinais nestes dois jogos.
    Da minha parte, repito, não defendi que o Ronaldo não jogue, o que quero é que 1+1 possa ser igual a 2 e não a 1,5. E repito também, acho que podemos e devemos pedir mais e as críticas construtivas que se façam só podem ajudar.
    Abraço

    • Não deixa de ser engraçado que nos jogos em que Ronaldo participa a parte defensiva seja sempre tão analisada (seja comentadores da Sporttv, sejam haters)… Por exemplo, relação a Messi nunca ouvi tal coisa… E o argentino sem bola pouco mais faz do que andar.

      Quanto a sermos 1.5 na soma de 1+1 com o Ronaldo, errata novamente… Com Ronaldo em 1+1, somos 3.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*