Porta fechada no Dragão

NOTAS SOFASCORE.COM

Um ponto chegava para não depender de mais ninguém. Terá sido partindo de tal premissa que Sérgio Conceição abordou a partida. Surpreendeu, não tanto na questão da linha defensiva a cinco – Já o havia feito em Manchester, mas mais nas restantes linhas. Trocou o 5x4x1 pelo 5x3x2, com Corona mais adiantado, tentando ser referência para receber o primeiro passe vertical da Transição, para posteriormente poder accionar a velocidade de Marega.

5X3X2 em Momento Defensivo

O plano foi claro: Preencher com grande presença a última linha e com isso controlar profundidade, e manter linha média sempre muito próxima para que os citizens não entrassem em zonas de criação – Os laterais saltavam com bola no seu corredor e a linha defensiva mantinha-se organizada. Não saiu tantas vezes da teia do City pós recuperar a bola quanto as que pretendia, e tal foi o aspecto menos conseguido de toda a exibição a azul, que sem conseguir ligar os possíveis contra ataques, passou praticamente todo o jogo só a defender.

A ausência de qualquer ímpeto ofensivo foi catalizador para que o City mais do que controlasse, dominasse o jogo e pudesse ter momentos para aproveitar ofensivamente – Quem tanto ataca, mesmo quando do outro lado há rigor a defender, acaba sempre por ter os seus lances, e assim foi. Dezanove finalizações contra apenas duas do FC Porto, traduziram um jogo de sentido único em que Marchesín quando teve de intervir fê-lo a preceito segurando o ponto que tanto esforço deu a conquistar.

5x4x1 – Porta fechada na última meia hora

Tudo o que de bom os jogadores azuis fizeram na partida foi nos momentos sem bola, e aí há que salientar não apenas o guardião Marchesín, mas o muito bom jogo de Uribe: Com a tremenda capacidade de fecho do espaço defensivo habitual, demonstrou também qualidade no momento de recuperar a posse e entregar fácil – Vale a pena recordar: O que perde o Porto sem Uribe – foi o melhor de todos os jogadores de campo. Também Diogo LeiteMbembaSarr formaram um trio que se impôs nos duelos e controlou o espaço área da área azul.

Com uma jornada para o final da fase de grupos, o FC Porto já está apurado num grupo que se previa… outro equilíbrio.

Já és nosso Patrono?
Por 1$ mês acesso a conteúdo exclusivo:

1 Comentário

  1. “Diogo Leite – Mbemba – Sarr formaram um trio que se impôs nos duelos e controlou o espaço área da área azul”: como? Onde foi isso? Em 10 jogos destes, só em 1 conseguiriam deixar a baliza a zero, e calhou ser este!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*