Benfica: “Problemas no corredor central”, individuais ou colectivos?

Apesar de ter vencido após o desempate por grandes penalidades frente ao Vitória SC, foi mais uma exibição pobre deste Benfica que tende a não atingir a regularidade que se esperava. Numa época atípica, com calendários apertados e muitas semanas com 3 jogos, o Benfica continua sem apostar numa grande rotação do plantel nas taças, mas nem por isso a equipa mostra evolução. No final do jogo, Jorge Jesus revelou que a equipa teve problemas no corredor central, tanto a atacar como a defender. Ora, apesar das declarações de Jorge Jesus terem sido mais direcionadas a Darwin e Waldschmidt, estes problemas tem sido uma constante na temporada. Seja com Gabriel, Weigl, Taarabt, Pizzi ou Samaris no meio-campo, o Benfica não consegue controlar os seus jogos com ou sem bola, não sofrendo em apenas 7 dos 19 jogos já disputados.

O golo do Vitória no jogo de ontem mostra que, apesar de haver problemas individuais e de não existir um par perfeito ao estilo de JJ no meio-campo, a equipa parece ainda não ter compreendido as referências defensivas que o seu treinador defende há já muitos anos: bola, colegas, espaço e só depois adversário. Entre problemas nas distâncias durante a pressão, pormenores de atenção individual e falta de proteção do espaço central, a equipa benfiquista pecou mais uma vez em vários momentos num só lance. A ligação Taarabt-Weigl foi inexistente, o Benfica não conseguiu orientar Marcus Edwards para o corredor lateral e depois, já perto da área, a falta de referência dos adversários em zonas perigosas. Ligue o som do vídeo, e acompanhe esta visão sobre o lance:

Video criado com

Avatar
Sobre RobertPires 55 artigos
Rodrigo Carvalho. 23 anos, experiência como treinador adjunto e analista em equipas séniores em Portugal e nos Estados Unidos. Passou pela Federação de Futebol dos Estados Unidos no departamento de Formação de Treinadores. Em colaboração com a Proscout, trabalhou diretamente com equipas técnicas profissionais e produziu relatórios de jogadores. Podem seguir muito do seu trabalho em @rodrigoccc97 no Twitter.

1 Comentário

  1. Discordo um pouco com a análise. O único que considero q está mal posicionado é o Everton que está demasiado encostado ao lateral e podia estar mais perto do interior, precisamente por onde o passe entra. Se o Everton tivesse como eu digo, o Weigl não precisava de ter apertado encostado no interior e aí sim já tinha ficado livre para dar essa tal cobertura no meio campo. Aliás pode-se ver pelo posicionamento do Rafa do outro lado, a ficar com o interior do seu lado e a deixar o ala livre. De qualquer das maneiras o Nuno Tavares defendeu mt mal este lance dando o lado de dentro e dps qd podia ter feito falta tb não a fez.

    Cumprimentos,
    Mário Horta

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*