Ajax: Da “Epopeia” Europeia aos dias de hoje

Recordamos neste post aquela equipa que impressionou na época 2018/19 ao chegar à meia final da Liga dos Campeões, e do que dela permanece. Será que se alterou muito?

A análise aqui feita, compara a última eliminatória europeia de 2018/19 com a última da presente época (Vs Lille – Liga Europa). Qual a relação entre ambas?

Do último 11 que disputou a semi-final em 2019 – Onana; Mazraoui; Matthijs de Ligt; Blind; Tagliafico; Schone; Van de Beek; Frenkie de Jong; Ziyech; Tadić; Dolberg – 5 jogadores partiram, deixando nos cofres do clube quase 300 milhões de euros.

Identidade é aquilo que nós somos… é aquilo que o grupo quer ser

Miguel CardosoLateral Esquerdo, 2018

Em Amesterdão, há uma equipa com uma identidade muito vincada, que apresenta a mesma cultura de jogo. Ao longo do tempo, podem-se alterar os jogadores, mudar os sistemas, as dinâmicas de jogo… mas os valores com que se vive e joga são inegociáveis.

Nós não temos o poder financeiro de outros clubes. Nós queremos trazer os nossos próprios jogadores – claro, há algum dinheiro para se poder gastar, mas o ideal é que queremos desenvolver os jogadores.

Van der Sar – The Guardian, 2017

A visão do caminho a percorrer é clara, daí o processo proporcionar a emergência de talentos… dão-lhes condições para se desenvolver, dão-lhes a oportunidade e acreditam na capacidade que têm. Havendo a constante renovação de geração – não há jogadores insubstituíveis, com a saída de um jogador, abre a oportunidade de outro surgir. Se em 2018/19 emergia De Ligt e De Jong; Hoje, por exemplo, surge Timber e Gravenberch nos seus lugares. É um ciclo!

Os nossos Videos são criados com

Sobre PavelNedved 4 artigos
Fernando Portela. Jovem Treinador, procura descobrir e decifrar os enigmas do jogo. Podem ver o seu percurso e o seu trabalho no LinkedIn: https://www.linkedin.com/in/misterfernandoportela/

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*