O MVP da final – Fez tudo, esteve em tudo, Kanté é tudo

“He does everything. The energy he brings, I don’t know how many ball recoveries today. He covered so much ground. It’s special to have him, and when we don’t have him we missed him. After winning the World Cup, the Champions League, he’s so humble in his position.”

Thomas Tuchel, no pós-jogo.

Na final realizada no Estádio do Dragão, o Chelsea conquistou pela 2ª vez na sua história a UEFA Champions League por 1-0 frente ao Manchester City de Pep Guardiola. Num jogo que ficou marcado pela enorme solidez defensiva coletiva dos blues (não foi apenas por demérito próprio que os citizens tiveram dificuldades em criar perigo), uma individualidade destacou-se e foi distinguido de forma meritória como o melhor jogador em campo (mais do mesmo na verdade, uma vez que já o tinha sido por duas vezes nas meias-finais): N’Golo Kanté. O médio, atuando como de costume como parte da dupla de médios com Jorginho na estrutura de 1-3-4-3/1-5-2-3 do Chelsea, voltou a fazer uma exibição muito ao seu estilo (grande capacidade de trabalho e abnegação) e demonstrando porque é que, apesar do perfil discreto, é um dos melhores do mundo na sua posição: sagacidade nas ações de desarme que lhe permitem acumular recuperações atrás de recuperações; perfil de características físicas, acumulando as capacidades condicionais de resistência e velocidade que na prática se observam numa grande abrangência de espaço (ver mapa de ações, abaixo) e capacidade de pressionar/encurtar os adversários; lucidez na saída de pressão, sabendo normalmente discernir sobre se a saída após recuperação deve ser em passe (e para onde: lateral, vertical, etc.) ou em progressão com bola.

Em relação ao futuro próximo, o francês parece estar no topo das suas capacidades e será claramente titular no campeonato da europa sendo que, se juntar à conquista da competição continental por clubes a mesma pela seleção (e com o mesmo protagonismo), poderá estar aqui um dos candidatos a melhor jogador do mundo em 2021.

Sobre Juan Román Riquelme 63 artigos
Analista de performance em contexto de formação e de seniores. Fanático pela sinergia: análise - treino - jogo.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*