Solidez defensiva ou Dinamismo defensivo? – Key Points sobre a final

A final da Liga dos Campeões, disputada na cidade do Porto, evidenciou um Chelsea com um nível altíssimo no capítulo defensivo e estratégico do jogo.

Assim, a forma como conseguiu contrariar e anular os pontos fortes do Manchester City na sua fase ofensiva foi decisiva para o desfecho final, onde foi notório, por parte dos blues, o cumprimento do princípio defensivo: Defesa à zona, pressionante ao portador da bola.

O Chelsea mostrou uma defesa (coletivo) ativa na forma de defender, com grande capacidade de leitura e de antecipação, revelando ainda um grande dinamismo defensivo (e não uma forma estanque e fixa de defender) com frequentes compensações posicionais, coberturas, controlo de espaços, tudo de forma a condicionar o jogo do adversário, onde os seguintes pontos (key points) foram determinantes para a conquista do troféu:

  • Comunicação!
  • Controlo de zonas e não de jogadores;
  • Espírito de entreajuda e sacrifício em prol do coletivo;
  • Pressão forte no portador da bola para não dar tempo e espaço para raciocinar e executar;
  • “Agressivos” e assertivos no 1×1.

Sobre PavelNedved 4 artigos
Fernando Portela. Jovem Treinador, procura descobrir e decifrar os enigmas do jogo. Podem ver o seu percurso e o seu trabalho no LinkedIn: https://www.linkedin.com/in/misterfernandoportela/

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*