Andar, observar, acelerar. Mais uma página na história de Messi.

A Copa América ganha pela Argentina, e por Messi, foi um dos momentos altos do ano futebolístico até ao momento. Em condições anormais, sem adeptos, durante a pandemia, a festa argentina foi adiada durante uns meses. Esta quinta-feira, os adeptos argentinos voltaram ao estádio para ver a sua seleção e puderam, finalmente, festejar com Messi e companhia a conquista mais histórica dos últimos anos. No jogo contra a Bolivia, a Argentina de Scaloni garantiu mais uma vitória no apuramento para o Mundial, e quem mais do que Lionel Messi para fazer um hat-trick e mostrar que está no melhor período ao serviço da sua seleção, seja a nível coletivo, individual ou mesmo na relação com os adeptos.

O craque argentino encanta em praticamente todos os jogos, mas ontem ficaram na retina os dois primeiros golos que marcou, onde mostra três comportamentos que podiam descrever a sua carreira: andar, observar e acelerar. Há uns anos, Guardiola elogiou a capacidade que Messi tinha para, durante o jogo, andar e observar tudo o que se passava ao seu redor antes sequer de ser uma opção válida para os seus colegas lhe passarem a bola.

A verdade é que com o avanço da carreira de Messi, o astro argentino gere cada vez melhor os seus timings de corrida, aceleração e até quando tem de andar e o jogo de ontem foi uma bela prova disso. Anda quando tem de andar, observa tudo ao pormenor, rodando o pescoço, identificando espaços, adversários e os colegas e depois, em poucos segundos, consegue receber, saber de que lado vai aparecer o defesa e o contacto, dribla curto para acelerar e quando os adversários finalmente conseguem reagir, Messi já fez um passe para o fundo das redes. Ano após ano, em qualquer palco, campo ou competição, Messi consegue ver e fazer o que os outros não conseguem. Ficam então as obras de arte de um jogador que marca a história do desporto e a quem já faltam palavras para elogiar ou descrever:

Sobre RobertPires 78 artigos
Rodrigo Carvalho. 23 anos, experiência como treinador adjunto e analista em equipas séniores em Portugal e nos Estados Unidos. Passou pela Federação de Futebol dos Estados Unidos no departamento de Formação de Treinadores. Em colaboração com a Proscout, trabalhou diretamente com equipas técnicas profissionais e produziu relatórios de jogadores. Podem seguir muito do seu trabalho em @rodrigoccc97 no Twitter.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*