Everton pode ser o catalisador que o Benfica precisa!

Parece que todos podemos concordar que Everton Cebolinha foi dos jogadores que mais beneficiou com a entrada Nelson Veríssimo. Aparece hoje mais solto, mais moralizado e acima de tudo, parece hoje um jogador mais feliz em campo.

Conta já com 7 golos e 7 assistências na atual época sendo que 3 dos golos foram feitos em pouco mais de 1 mês com Veríssimo. Para ser ainda mais concreto, Cebolinha com JJ na liga passada fez 4 golos e 5 assistênciais… em 27 jogos. Já com NV, Everton em apenas 7 jogos, já em 3 golos e 2 assistências.

Everton cresce muito no seu jogo a jogar com espaço, perto da linha para depois encarar os adversários e vir para dentro. Seja para jogar de forma associativa com outros colegas, seja para assistir ou para partir para o golo, Everton prefere vir de fora para dentro, com espaço para decidir ou para usar a sua técnica apurada no 1v1.

A partir daqui, toda a equipa melhora o seu jogo devido ao brasileiro estar a jogar como joga. E porquê?

Primeiro porque com Rafa do lado contrário o Benfica não tem largura do lado direito, por essa razão, a largura dada por Everton é essencial para não congestionar o corredor central. A largura dada por Cebolinha é essencial para que o Benfica consiga espaços para criar. Com JJ, Everton dava menos largura e o jogo do Benfica não se tornava fluído muito por se limitar a mastigar no corredor central.

Depois, permite que Grimaldo assuma terrenos mais interiores onde faz imensa diferença. A qualidade técnica do espanhol e a facilidade que tem em funcionar com tabelas e apoios permite ao Benfica arranjar soluções em espaços centrais e eventualmente mais apertados.

Por último, Darwin. O avançado uruguaio beneficia do que Everton faz em campo na medida em que ambos têm movimentos que se complementam. Enquanto que Everton prefere jogar por fora para depois vir para dentro já com a decisão do que vai fazer, Darwin funciona ao contrário e prefere partir do centro do terreno para diagonais para a esquerda. Assim, não são criadas sobreposições nem na ala esquerda nem no centro onde Gonçalo Ramos parece vir a assumir o seu lugar sempre que Darwin descair enquanto que Everton vai rondar a entrada da área.

No vídeo vemos esses movimentos a acontecer e as dinâmicas que podem trazer ao Benfica em caso do mau momento coletivo ser superado de vez.

Sobre EdgarDavids 58 artigos
Analista de Desempenho Coletivo e Individual & Técnico de Exercício Físico.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*