Oitavos ao estilo do FC Porto!

Todos os que seguem o Futebol Clube do Porto seja por serem adeptos ou rivais, conseguem reconhecer uma identidade intrínseca do clube especialmente em jogos na Europa. Sérgio Conceição tem o mérito de não só colocar o Porto a ganhar títulos como também de cultivar esta identidade e até aumenta-la sempre que existe necessidade.

Além da qualidade individual dos jogadores, o coletivo mostra que a mensagem, processos e dinâmicas de Sérgio Conceição passam e que estão percebidos a ponto de manter tudo intacto seja em que competição for.

Esquecendo a parte psicológica em que os jogadores mostram sempre a atitude, garra, crença, querer e níveis de concentração e competitivos elevados, a nível tático é fácil de reconhecer que o FC Porto procura pressionar as construções adversárias logo na sua primeira fase para que os oponentes não possam sequer respirar e pensar o seu jogo. Também a reação à perda da bola é imediata e intensa por parte de todos os elementos para que não haja saídas para o adversário que possui a bola no momento de saída em transição.

O segundo golo da equipa portuguesa na visita ao terreno da Lazio mostra todos estes princípios. A pressão assertiva feita por Taremi e posteriormente correspondida por todos os elementos do Porto no último terço fez com que o adversário não conseguisse entregar em condições e o Porto ganha assim a posse de bola numa zona avançada do terreno e deixa os italianos descompensados e sem preparação para suster a resposta do FC Porto.

De realçar que Taremi é o primeiro elemento a pressionar e depois é também ele que assiste de forma exemplar Uribe que apareceu bem na zona de finalização.

Sobre EdgarDavids 58 artigos
Analista de Desempenho Coletivo e Individual & Técnico de Exercício Físico.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*