Adel Taraabt: Do 8 ao 80 no mesmo jogo

Já não é novidade para ninguém que Adel Taraabt é um médio com uma capacidade técnica invejável mas que mancha quase sempre as suas exibições com erros que não se podem cometer no mais alto nível.

O marroquino do Benfica tem desempenhado um papel de “8” mas a verdade é que não é talhado para essa posição. O papel que vários treinadores têm atribuído a Adel requer um nível de concentração e de comprometimento defensivo que o jogador não consegue entregar. Não lhe está no ADN… nem vai estar. Contudo, no que ao momento ofensivo diz respeito, Taraabt é perfeito para o papel. Descobre colegas onde ninguém os vê. Sendo até um jogador a quem os colegas entregam a bola na esperança que encontre uma solução.

Nada melhor que o jogo do último fim de semana para se descrever o internacional marroquino. O jogador começa o jogo estando muito mal num momento defensivo que resulta no golo da equipa do BSad. Um erro que vem de base. Da formação. Adel é contornado, como não pode ser e prova disso são os apoios mal colocados frente a um jogador que sabe desequilibrar como Rafael Camacho. Sem reação. Sem encurtar. Sem qualquer acompanhamento ou oposição digna desse nome.

A partir daí, tornou-se num dos homens do jogo fazendo duas assistências e outros tantos passes incríveis. Adel desperta amores e ódios ao mesmo tempo. Se por um lado faz um passe incrível ou transporta a bola metros a fio em condução que desequilibra as equipas adversárias, por outro lado também é o jogador que desequilibra a sua própria equipa por jogar sempre no risco e na vertigem mesmo quando tem soluções mais seguras perto de si.

Se defensivamente é muito curto para ser titular numa equipa que ambiciona lutar por títulos e que joga num modelo de apenas dois médios, ofensivamente é um desbloqueador e um acelerador. Se fosse um jogador com mais golo, certamente teria muito mais “carinho” por parte dos adeptos. A verdade é que os erros sobressaem mais do que os passes ou assistências e a enorme falta de golo que tem como médio ofensivo, acaba por castigar Taraabt que dificilmente ainda irá cair nas graças dos adeptos encarnados. O golo permite aos adeptos esquecer os erros que estão para trás. Fosse Taraabt capaz de finalizar mais vezes e certamente deixaria de estar sempre no limbo entre o “fantástico” e o “não pode jogar”.

Sobre EdgarDavids 59 artigos
Analista de Desempenho Coletivo e Individual & Técnico de Exercício Físico.

1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*