Competitivo!! Porque Será?

Depois de mais uma excitante jornada no campeonato inglês decidi partilhar algumas ideias acerca desta competição, onde tenho estado atento ás suas incidências mais de perto desde 2004 quando mudei de residência para as terras de sua majestade!

À primeira vista, pode-se dizer que os clubes mais ricos do mundo sao os ingleses, nao discordo, dir-se-ia que a classe média inglesa terá maior poder de compra (dai maior participacao junto do seu clube) tambem nao discordo, estarão os melhores jogadores do mundo em Inglaterra ? Grande parte deles.. mas isto só nao explica o que se passa na própria tabela classificativa depois de 12 jornadas completas ( excepto 2 equipas que tem um jogo em atraso).

Se fizermos uma analise mais atenta a segunda metade da tabela classificativa apercebemo-nos que do 10 lugar ate o 20 e ultimo as equipas distam-se por uns meros 3 pontos….!!!!!

Espantado? Nao diria se acompanha o campeonato por perto.

Num fim de semana uma equipa poderá começar a jornada numa posicao de despromocão e dai os seus jogadores revelarem uns indicies de nervosismo maior, estes mesmo jogadores poderão acabar a jornada numa “confortável” 10 posicão, isto seja para alem das ultimas 3 ( na zona de despromoção) ainda estarem à frente de mais 7 equipas!!!! E mais distarem de uns escassos 6 pontos de um lugar europeu!!! É obra!

Penso que isto se deve não só a atitude das equipas mas ao grau de difiduldade de cada jogo, seja em casa ou fora, torna-se tao dificil conseguir os 3 pontos quer se jogue com os chamados poderosos ( Chelsea, Arsenal, M. United, Liverpool) quer se jogue contra os recem promovidos, diga-se Hull City que neste preciso momento ocupa um honroso 6º lugar com 20 pontos, depois de ter batido equipas como o Arsenal em pleno Emirates!!!! Depois de uma “falsa partida” de alguns notaveis com o Tottenham que nos ultimos 12 pontos possiveis alcancou 10!!!! Notável! fez com que a equipa deixa se a “embaraçosa” posição de lanterna vermelha.

Mas porque será que isto se passa ? Porque será a Premier League uma das mais disputadas do mundo?

Penso que se trata da mentalidade dos jogadores, treinadores, adeptos e todo o mundo que a rodeia. Exemplo evidente, e que na europa a Inglaterra foi um dos primeiros paises que introduziu os 3 pontos por vitoria e 1 por empate, deixando o sitema de 2 pontos por vitoria!! Questão de mentalidade!! Mas não se pense que isto terá origem também nas camadas jovens, um dado curioso e digno de registo é que a própria “competiçao a valer” só começa nos Sub 18 chamados juniores em portugal, antes de chegarem a essa idade todos os jovens que frequentam as academias estao privados da propria competitividade, pois essa e inerente em todos os jogos, sejam eles amigaves ou nao, mas sim dá pressão e responsabilidade de obter resultados, o que faz com que desde os chamados infantis até ao juvenis só existam jogos amigaveis!

Por outro lado poderá dizer-se que esta competitividade deve-se ao poder de compra dos clubes ingleses e ao dinheiro que os seus donos tem (de referir que cada clube que participe na premier league recebe como “premio” 37 MILHOES DE LIBRAS! Concordo com este facto, mas nem todos os clubes são clubes milionarios, nem todos têm um dono que não necessita de verificar o extracto bancario para comprar os ronaldinhos e os lampards, mas sim e acentuo novamente a mentalidade ganhadora e nao mentalidade de não perder que está inerente na sociedade inglesa e nesta liga!
Faça a sua própria análise à tabela classificativa!

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 2359 artigos
Criador do Lateral Esquerdo, é também professor no Estádio Universitário de Lisboa. Treinador de futebol, tendo almejado diversos titulos nacionais. Experiência como coordenador de futebol formação e palestrante em diversas Faculdades de Desporto. Autor do livro "Construir uma equipa campeã" da editora PrimeBooks.

4 comentários em Competitivo!! Porque Será?

  1. Discordo radicalmente das conclusões deste texto. O futebol inglês é emotivo, é espectacular no sentido literal da palavra “espectacular”, tem um ambiente fantástico, mas se há coisa que não é é competitivo. Não se pode aferir a competitividade de uma liga pela competitividade entre as equipas do fundo da tabela. É um erro. Compara o topo da tabela e o topo da tabela em Itália, por exemplo. Antes desta jornada, em Itália, os primeiros 9 estavam separados apenas por 6 pontos. Isso sim, é competitividade. As 10 equipas que dizes estarem separadas por 3 pontos no fim da tabela significa que há competitividade no fundo da tabela e não no campeonato em si. Em Itália ou em Espanha, a competitividade é claramente maior. Não há sequer discussão em relação a isso. Facilmente, as equipas inglesas que não sejam as 4 de topo são eliminadas das provas europeias. Vemos Braga e Guimarães a derrotar Portsmouth sem grandes problemas, por exemplo, e vemos o Benfica a tremer ante o Nápoles. Como remate a tudo isto, gostaria de deixar aqui o link para um texto que escrevi sobre esse assunto e no qual, entre outras coisas, se demonstra inequivocamente que o campeonato inglês é nivelado por baixo, havendo um buraco muito maior entre as equipas grandes e as equipas pequenas do que, por exemplo, em Espanha e em Itália.

    http://entredez.blogspot.com/2008/07/competitividade.html

    Em relação ao futebol de ataque de que falas, não creio que seja uma questão de mentalidade. É reflexo, isso sim, da pouca competência táctica que se vive em Inglaterra e do uso sistemático do 442 clássico. Os jogos são quase sempre confrontos entre duas equipas em 442 clássico, uma táctica que, ainda por cima em Inglaterra, é muito “aberta”. É natural que, jogando assim, os jogos sejam muito intensos, que haja muitas oportunidades de golo e, consequentemente, muita emoção. O que não é rigor táctico, cultura, inteligência e competitividade.

    Abraço!

  2. Caro Nuno, li atenciosamente o seu comentario e como tal nao partilho da sua opiniao!

    Quando me refiro que e um campeonato competitivo, nao me refiro apenas ao vencedor do campeonato, ate porque sao quase sempre os mesmos 4 clubes, o que me refiro e que a competitividade existente e em cada joga , de tal maneira que nao ha resultados certos, e uma incognita o resultado final, e a competitividade destes jogos revela se no final do campeonato, nao sei se estiveste atento, mas ate a ultima jornada o campeao ingles nao era conhecido!!! e no fundo da tabela a ultima jornada 5 equipas lutavam para fugir aos 2 lugares de vagos para se juntarem ao Derby que ja estava despromovido… e se estiveres ainda mais atende uma equipa desceu por diferenca de goal!!!! Menos um Golo!!!
    Quando digo competitividade, repara na diferenca pontual do ultimo para o primeiro, depois compara a com os campeonatos italianos e espanhois! Ja nao ponho o portugues aqui pois e abismal!!!

    Discordo totalmente quando me dizes que Tacticamente sao jogos pobres e os seus managers revelarem pouco conhecimento sobre a materia…. tiveste o caso do portsmouth ter perdido com o braga e o guimaraes, mas teras de compreender em que circunstancias esses jogos se passarem, numa altura da abordagem ao treinador do portsmouth pelo tottenham e repara no historial do portsmouth, onde a 3 anos atras escapou milagrosamente a descida de divisao! Pedro mendes teve um papel preponderante nesse periodo!
    Acerca do futebol italiano, concordo contigo mas no passado, durante a decada de 90!! onde a cultura tactica e a competitividade estava no seu auge, agora penso que esse campeonato engana nos ao tentar mostrar se competitivo porque joga se para os pontos, quando as equipas vao jogar fora fecham se tacticamente para conseguir um ponto, e essa a diferenca para o ingles, onde maioria das equipas ingleses usa o 442 e verdade,e ha mais emocao nao por serem burros tacticamente mas sim por promoverem o espectaculo e procurarem a vitoria. Pergunta ao mourinho se ele nao fica contente se conquistar um pontinho em terrenos dificeis fora???
    Referiste ainda que o benfica tremeu com o napoles! discordo profundamente, tive oportunidade de assistir aos dois jogos, se bem que o jogo da luz pela tv, e penso que o benfica demonstrou ser uma equipa mais forte que o napoles no computo geral, mas taticamente os jogadores italianos sao muito mais fortes que o da nossa burguesia!!!!

  3. Sir Luis diz: “o que me refiro e que a competitividade existente e em cada joga , de tal maneira que nao ha resultados certos, e uma incognita o resultado final, e a competitividade destes jogos revela se no final do campeonato, nao sei se estiveste atento, mas ate a ultima jornada o campeao ingles nao era conhecido!!!”

    O meu estudo, não sei se te deste ao trabalho de ler, foi feito com base na diferença entre golos marcados e golos sofridos. A diferença de goal average entre grandes e pequenos é abismalmente maior em Inglaterra. Isto significa que, em Inglaterra, os jogos terminam invariavelmente com diferenças no marcador superiores ao que acontece em Espanha e em Itália. Isto está provado pelos números. Logo, a competitividade em cada jogo é menor, a incógnita no resultado final é menor. Quanto ao facto de o campeão se ter decidido apenas na última jornada, não implica nada. O que é preciso contrastar é a diferença entre grandes e pequenos e essa, em Inglaterra, é claramente maior.

    “Quando digo competitividade, repara na diferenca pontual do ultimo para o primeiro, depois compara a com os campeonatos italianos e espanhois! Ja nao ponho o portugues aqui pois e abismal!!!”

    Não percebi. Em Espanha, 59 pontos. Em Itália, 55 pontos. Em Inglaterra, 76 pontos. Continua a ser o campeonato mais díspar dos 3.

    “agora penso que esse campeonato engana nos ao tentar mostrar se competitivo porque joga se para os pontos, quando as equipas vao jogar fora fecham se tacticamente para conseguir um ponto, e essa a diferenca para o ingles, onde maioria das equipas ingleses usa o 442 e verdade,e ha mais emocao nao por serem burros tacticamente mas sim por promoverem o espectaculo e procurarem a vitoria.”

    Duas coisas falsas. Se o campeonato italiano é um campeonato onde as equipas jogam fechadas, como é que explicas que se marquem tantos ou mais golos do que em Inglaterra, onde todos jogam abertos e, individualmente, há melhores jogadores? O ano passado, em Itália, marcaram-se quase tantos golos como em Inglaterra: 970 contra 1002. Mas há 2 anos marcaram-se mais golos em Itália. O futebol italiano já não é tão fechado quanto isso. Vês equipas como a Roma ou a Fiorentina a jogar muito aberto. Vês o Mourinho agora a jogar ao ataque, etc. O campeonato italiano, nos últimos 3 anos, melhorou bastante nesse aspecto, sobretudo graças a uma nova vaga de treinadores, já não herdeiros de ideias ancestrais, como Lippi, Ancelotti, Mancini, Prandelli, Spalletti. A segunda coisa falsa prende-se com o facto de os jogos serem emotivos porque eles pretendem promover o espectáculo. Não sei se te lembras dos embates entre Mourinho e Benitez. São dois treinadores muito competentes em termos tácticos e muito rigorosos nesse aspecto. Como tal, os jogos entre Chelsea e Liverpool eram muito fechados, com poucas oportunidades. Ou seja, eram tacticamente mais competentes, logo o espaço era menor, logo a emoção (quantidade de oportunidades e intensidade com que se ataca) era menor.

    Resumindo, concordo que o futebol inglês é o mais espectacular, como refere o PB. Mas para mim a espectacularidade não é uma propriedade que garanta valor a um jogo de futebol. O Mourinho costuma dizer que um jogo que acabe 4-4 foi um mau jogo. E foi-o porque, tacticamente, teve que existir muita negligência. Para mim, ver futebol inglês pode ser mais emotivo, mais espectacular, mais intenso, mas isso não confere valor ao jogo. Porque, para mim, a qualidade de uma partida de futebol não tem nada a ver com as emoções que provoca. Um 4-4, por certo, gera muitas emoções, mas em termos qualitativos dificilmente será um bom jogo. Numa partida de futebol, procuro essencialmente propriedades estéticas, qualidade de jogo. Nesse aspecto, o futebol inglês é francamente deficiente, primitivo. Tacticamente, é um futebol pobre. Vale pelas individualidades que consegue contratar, pelo ambiente, pelo conceito de show business que o envolve, e não pela cultura táctica. E isso, ainda que não se queira ver, atestam-no os números. O estudo que fiz revela inequivocamente que no campeonato inglês as equipas mais fortes são muito mais fortes que as equipas mais fracas. E, independentemente de haver 10 ou 15 mais fracas que não estejam em níveis muito diferentes, isso é garantia de que a competitividade é reduzida. Aliás, tirando as 4 equipas de topo em Inglaterra, não vês equipas com qualidade para vingar nas provas europeias. Em Espanha e em Itália, vês equipas que não são grandes a ir muito longe nas provas europeias.

    Cumprimentos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*