Aimar-te assim perdidamente

white corner field line on artificial green grass of soccer field

Ponto Prévio. Este texto poderá não estar ao alcance de todos. Se percebe, ou tenta perceber o que é um jogo de futebol, continue. No caso hipotético de tomar Hulk por um (bom) futebolista, aconselho, desde já, a terminar por aqui a sua leitura (digo-o, com todo o respeito que o Givanildo me merece, que é bem mais do que aquele que o rapaz tem pelo melhor avançado da liga portuguesa. Leia-se Lisandro).

Minuto 40. SL Benfica – Feyenoord. Ataque rápido conduzido por Aimar, desde o corredor lateral esquerdo, até ao central. Situação de igualdade numérica. Urretaviscaya não percebe como resolver a situação e permanece a correr ao lado de Aimar. Este, enquanto conduz a bola, gesticula, indica-lhe o caminho a seguir. Urretaviscaya desmarcasse pelas costas de Aimar (conforme sábia sugestão de Pablo), arrastando consigo um defesa do Feyenoord, garantindo mais espaço no corredor central, espaço esse, aproveitado por Aimar para servir de bandeja Cardozo. Foi esse o momento que percebi quem é Aimar.

Sim, já tinha visto golos, assistências e incríveis dribles. Já tinha visto resumos e videos no Youtube, mas nunca tinha percebido realmente quem era Aimar (e acredito que muito poucos já tenham percebido).

Aimar é tudo isso, mas tudo isso é pouco para o descrever. Aimar demarca-se de tantos outros pela forma como interpreta o jogo e pela velocidade a que o faz. Em Guimarães, independentemente da dificuldade do gesto técnico (passe de letra), impressiona a velocidade com que Aimar decidiu. Mais do que a beleza estética que empresta ao jogo, Aimar vale pelas suas decisões. Sabe sempre qual a melhor opção a tomar e tem capacidade técnica para a por em prática. Dos seus pés, a bola sai sempre para onde deve sair e sempre bem redondinha.

Imaginar uma equipa com 11 jogadores com este nível de compreensão do jogo e com esta capacidade técnica para o executar, é dos exercícios mais deliciosos que qualquer amante de futebol pode (tentar) fazer.

Quem espera vê-lo em slalooms batendo adversários atrás de adversários, desengane-se. Aimar pensa colectivo, e a menos que os adversários estejam em desiquilibrio, isso não irá suceder. Aproveite para ver as coisas simples, tão simples, que só alguém com o nível de Aimar lhe consegue oferecer. Delicie-se com cada passe para a frente…ou para trás, com cada recepção sempre dirigida no sentido da baliza adversária, com cada toque na bola, com cada desmarcação, ou com cada sugestão dada aos colegas de equipa… porque Aimar é futebol!

Quique Flores foi quem melhor o definiu, “Há muitos jogadores que decidem bem e há muitos que decidem rápido. Jogadores que decidem rápido e quase sempre bem, há muito poucos. Aimar é um deles” e é a quem cabe enquadrar a equipa em Aimar. Que as lesões não o persigam, é o voto de todos os amantes de futebol.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 2366 artigos
Criador do Lateral Esquerdo, é também professor no Estádio Universitário de Lisboa. Treinador de futebol, tendo almejado diversos titulos nacionais. Experiência como coordenador de futebol formação e palestrante em diversas Faculdades de Desporto. Autor do livro "Construir uma equipa campeã" da editora PrimeBooks.

4 comentários em Aimar-te assim perdidamente

  1. Magnífico comentario. La mayoría espera de Aimar la gambeta espectacular, alaban -y se merece todas las alabanzas- el pase de rabona o de calcanhar-y si no los hace dicen que no mostró nada. Y Aimar es, además de eso, mucho más. Sólo quien de verdad sabe de esto lo aprecia. No para de dirigir. Y uno, desde la grada, o incluso por la televisión, si se pone a trazar líneas, coincide siempre con las indicaciones de Pablo: nunca se equivoca (En Zaragoza, donde el clima del vestuario se hizo insoportable, había jugadores que, por sistema, le llevaban la contraria: fallaban siempre). Vé la jugada al menos diez segundos antes de que ocurra. Abre huecos como nadie. Y los delanteros se aprovechan. Yo le he visto muchas veces irse del campo, contento, y sabiendo que los elogios no iban a ser para él.; que otros se iban a llevar el título de crack y la gloria. Que a él le calificaría la mayoría de la prensa con un aprobadillo: pasó inadvertido, dirían. Pero él, que además de jugar como los ángeles, sabe un rato de esto, se iba contento Porque sabía lo que había hecho. Y quien había sido, de verdad, el crack. Y que si preguntaban a alguien, que de verdad entendiera de fútbol, quién había sido el artífice de la victoria, quién había sido el mejor, respondería: Aimar. Crack es el que decide bien . Y decide bien el que hace lo mejor para su equipo. Aunque sólo algunos, los que saben, lo aprecien. Y tú, por cierto, permíteme que lo diga, sabes, compañero

  2. Desde que chegou a Valência que me impressionou pela velocidade com que pensa. Fez, sobretudo no River, arrancadas estonteantes, golos espantosos, jogadas individuais brilhantes. Mas ao chegar à Europa modificou-se. Passou a soltar a bola sempre ao primeiro ou ao segundo toque. Se as suas exibições individuais, com isso, começaram a passar despercebidas, os ganhos colectivos da sua equipa passaram a ser maiores. Aimar é, para mim, o jogador que conheço que mais rápido pensa aquilo que pretende fazer. E foi Aimar, em grande medida, um dos jogadores que mais me ensinou a ver o futebol como o vejo hoje…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*