Moreira, Moretto ou Quim?

white corner field line on artificial green grass of soccer field

Moreira foi tido como um jovem prodígio, e é inegável que desde muito cedo mostrou qualidades que fariam prever que tivesse uma duradoura e bem sucedida carreira na baliza do SL Benfica e até da Selecção Nacional.

Lesões várias, levaram-o à mesa de operações, de onde não voltou intacto. Parece mais lento, mais inseguro e não mais experiente, pois os anos foram passando sem que tivesse tido oportunidade de jogar com regularidade. Dos três, parece, o menos apto para o lugar.

Quim nunca convenceu os mais cépticos. Não é espalhafatoso e todos sabemos como isso prejudica a sua imagem, perante uma grande faixa de adeptos.

Não é um garante de segurança absoluta, mas tem qualidade. Contudo, não parece ser daquela espécie rara de Guarda Redes, de quem se diz “valerem pontos”. Quim, defende o que tem de defender. Apesar de não ter uma boa leitura do jogo, faz o seu trabalho de forma regular e é a melhor opção se…

Moretto, parece ser, o melhor em termos técnicos, físicos (agilidade e velocidade) e até morfológicos.

A sua instabilidade mental, prejudica-o gravemente. No passado não soube lidar com a pressão. Jogou sobre brasas e não soube corresponder, minimamente, à altura das necessidades.

Face ao momento negativo dos colegas, pode ser visto como uma espécie de salvação. Se ele próprio interiorizar essa ideia, tem tudo para ser o homem certo. Até ao dia em que cometer um erro, e voltar tudo ao início…
Merece oportunidade.

P.S. – Sabia que numa sondagem da Gazzetta dello Sport, Rui Patricio estava no leque dos mais jovens promissores dos campeonatos europeus? E que era o único Guarda Redes na dita sondagem?

À formação do Sporting, só falta desenrascar um avançadozito para a selecção portuguesa…

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 2366 artigos
Criador do Lateral Esquerdo, é também professor no Estádio Universitário de Lisboa. Treinador de futebol, tendo almejado diversos titulos nacionais. Experiência como coordenador de futebol formação e palestrante em diversas Faculdades de Desporto. Autor do livro "Construir uma equipa campeã" da editora PrimeBooks.

8 comentários em Moreira, Moretto ou Quim?

  1. Na minha opinião, Quim é o único guarda-redes do Benfica com condições para ser titular. É certo que nos últimos tempos sofreu alguns golos onde teve culpas mas ninguém pode esquecer que nas últimas duas épocas teve um excelente desempenho e foi fundamental em muitos jogos e o Benfica conquistou muitos pontos à custa dele. Pode até estar agora a passar um mau bocado mas acredito que pode dar a volta.

    Quanto ao Rui Patrício, acredito que possa vir a ser um guarda-redes de excelente qualidade. Demonstra boa técnica entre os postes, assim como fora deles. Além disso tem boa agilidade e boa leitura de jogo, embora possa melhorar ainda neste campo. Os guarda-redes portugueses não são muito complectos e nisso Rui Patrício tem alguns pontos a seu favor pelo sua qualidade fora dos postes.
    Vejo nele um guarda-redes com futuro e quem sabe o guarda-redes da nossa selecção, tudo depende da sua evolução ou não nestes próximos tempos.

    Eduardo é outro que tem crescido sustendamente e é neste momento, um guarda-redes com créditos firmados no futebol nacional. É um dos pilares do Sp. Braga e o afastamento de Quim da baliza do Benfica, poderá ser a sua rampa de lançamento para o passo seguinte na sua carreira, a titularidade na turma das quinas…

  2. A principal competência de qualquer jogador que queira ser bem sucedido num dos três grandes é sobretudo uma: ter estofo para agunetar a pressão, não soçobrar ao peso da camisola.

    O Quim disfarçou essa falta de estofo durante algum tempo, mas está nitidamente a ser ultrapassado pelos acontecimentos. O Moreira nunca teve essa capacidade, o Moretto nunca a poderia ter, dada a entrada no clube como salvador da pátria.

    Marcos, a próxima vítima?

    http://bolaseletras.blogs.sapo.pt/

    António Almeida

  3. Para mim, o melhor é o Quim. O Moreira não sei se algum dia voltará a estar apto para a alta competição e o Moretto, apesar da estatura e de ter momentos de brilhantismo, é muito inconstante, não me dá segurança nenhuma.

    Quim não é muito alto, não tem defesas impossíveis mas é o mais seguro. E eu privilegio muito mais essa segurança do que o carrossel do muito bom com o péssimo.

  4. PB diz: “À formação do Sporting, só falta desenrascar um avançadozito para a selecção portuguesa…”

    PB, há 3 anos saiu de lá um que tinha tudo para o ser: Diogo Tavares. Infelizmente, o Sporting queria emprestá-lo e ele não quis e acabou por sair para o Génova. Perdeu-se e, provavelmente, não voltará à ribalta. E nem sequer foi um caso de lhe ter subido a fama à cabeça. Ele quis fazer a pré-época com o plantel, para tentar convencer o Paulo Bento que merecia ficar, e o Sporting foi irredutível. E não se estava a falar de um jogador qualquer. Estava-se a falar do melhor marcador do campeonato de juniores do ano anterior… Enfim, desperdício…

  5. Vou ser sincero, ia escrever agora sobre isso.
    Por ter encontrado aqui praticamente tudo o que ia dizer, já não o vou fazer.

    Só duas coisas:
    a primeira é que curiosamente, aquele que sempre foi o bem amado dos adeptos benfiquistas (Moreira) é hoje posto praticamente de lado para assumir a baliza, como melhor opção. Mesmo em sondagens, aparece como terceira opção.

    depois, dizer que actualmente considero Quim a melhor solução. E Moretto o homem que tem mais potencial. Falta-lhe resolver exactamente isso, alguma fragilidade psicológica. Se o Benfica e Quique Flores quiserem arriscar, podem ter aposta segura para épocas vindouras. Mas o risco é maior.
    Quique parece querer arriscar. Não o censuro.

    Quanto a Balboa, sabia-o porque penso que já o li algures numa caixa de comentários. Por ser uma opinião quase rara,e em consonância com a minha, retive-a.

  6. Na minha opinião quem fica a perder com tudo isto é o Benfica. Ter três guarda-redes já feitos, com algum peso no futebol português, faz com que o eleito (seja ele quem for) jogue sempre sobre brasas, sabendo que ao mínimo erro salta fora do barco.
    A qualidade a mais nunca foi problema, mas quando isso afecta o equilibrio de uma formação então há que repensar a estratégia.
    Se virmos os casos dos demais grandes do futebol português vêmos que quer no Sporting quer no F. C. Porto existe confiança no titular, a quem é dada invariavelmente segundas oportunidades quando erram. E isso, esta época, não está a acontecer no Benfica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*