Futebol moderno. A progressão que já não é só individual.

É uma das maiores perdas na beleza do jogo. O desaparecimento dos tradicionais número 10. Aqueles que baixavam, recebiam do central e progrediam ultrapassando adversários. Aqueles que no individual ligavam ofensivamente o jogo das suas equipas. Da construção à criação, e tantas vezes na criação a ligarem com a finalização.

Um desgaste imenso porque as equipas concentravam em tal figura todo um processo ofensivo. Apenas compensado pela menor responsabilidade defensiva que lhes era dada, para que pudessem continuar fisicamente aptos a assumir, tantas vezes sós, a despesa de todo um ataque.

A figura foi caindo fruto de uma evolução própria do futebol. Cada vez menos se partem os jogadores por funções específicas, e todos têm de participar activamente em todos os momentos e fases. Defensivamente evoluiu bastante o jogo, e também ofensivamente são hoje dadas outras respostas.

Onde antes, demasiadas vezes se via o portador à procura de desbloquear situações para servir os colegas, hoje vê-se quem rodeia o portador a ser quem assume a iniciativa para desbloquear o jogo com os seus movimentos. Onde antes, um procurava ajudar dez. Hoje, dez procuram ajudar um.

Perdeu romantismo e perdeu beleza. Todavia, é inegável que as melhores equipas têm hoje toda a gente a movimentar-se para garantir sempre opções ao portador. Opções que têm de continuar a ser dadas, mesmo que em espaços diferentes a cada troca de bola. A progressão que hoje não é feita unicamente com a categoria do portador mas também com a movimentação de toda a equipa.

O modelo ofensivo das equipa de Jorge Jesus é um dos que mais gente envolve sempre na zona da bola. Um dos que “obriga” a uma movimentação constante para que o portador nunca fique entregue a si. Também por isso, as suas equipas estão sempre no topo, no que diz respeito à facilidade com que chega às imediações da grande área adversária.

Pequeno demonstrar por Gelson, daquilo que é preciso. Constante movimentação em função da situação de jogo, para garantir opções ao portador nos melhores espaços.

1 2 3 4

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 2355 artigos
Criador do Lateral Esquerdo, é também professor no Estádio Universitário de Lisboa. Treinador de futebol, tendo almejado diversos titulos nacionais. Experiência como coordenador de futebol formação e palestrante em diversas Faculdades de Desporto. Autor do livro "Construir uma equipa campeã" da editora PrimeBooks.

1 comentário em Futebol moderno. A progressão que já não é só individual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*