“MarsBet”

As finais não se jogam. Ganham-se!

Manchester United's Portuguese manager Jose Mourinho celebrates with the trophy after the UEFA Europa League final football match Ajax Amsterdam v Manchester United on May 24, 2017 at the Friends Arena in Solna outside Stockholm. / AFP PHOTO / Jonathan NACKSTRANDJONATHAN NACKSTRAND/AFP/Getty Images

Para vocês é tudo muito fácil. Vocês não treinam.

Vitor Pereira

Ponto prévio: O United da presente temporada está bem longe de apresentar o tipo de jogo que idealizo. Quer ofensivamente, quer defensivamente. Se na próxima temporada depois de renovar o seu razoável plantel o tipo de jogo continuar a ser o actual, muito me desiludirá.

Contudo, faz sempre imensa confusão abrir qualquer rede social e ler críticas negativas demasiado acentuadas ao seu treinador. É certo que, como alguém afirmava num grupo privado, noventa por cento das críticas negativas surgem de quem não é ninguém no futebol. Ou porque nunca treinou ou porque o fez a um nível tão baixo que é praticamente irrelevante. Já noventa porcento dos que têm experiências relevantes no jogo e fazem do futebol a sua vida, têm a opinião contrária. Curioso, não?

Na final da Liga Europa, independentemente de se gostar do estilo ou não, mais uma lição de estratégia de Mourinho.

Um Ajax preparado para exercer o seu pressing alto, esperando chegar ao golo num erro em posse de um defesa do United, e com que plano surge a equipa de Manchester? Fellaini mais adiantado para servir de referência para o jogo directo. United sem arriscar na construção e Ajax porque não recuperou uma bola como havia planeado, sem uma única possibilidade de transitar para contra ataque. Idealizado por quem? Pelo mesmo que idealizou a forma de condicionar todo o ataque da equipa holandesa. Em organização ofensiva, o Ajax, uma das equipas mais interessantes da Europa, habituado a jogar contra zona, com rotinas que promovem a recepção e enquadramento nas costas dos médios adversários, viu-se num jogo totalmente contrário ao que está mais habituado. Como entras nas costas dos médios se eles te marcam individual (e portanto não saem eles das tuas costas)?  As opções estratégicas de Mourinho a mudarem totalmente a forma como estava ancorado o jogar do adversário. E as finais… ganham-se! E este é o 25º troféu de José Mourinho.

A forma como jogamos a final, a equipa foi muito inteligente.
Sabíamos exactamente como podíamos ganhar e ganhamos confortavelmente a uma boa equipa, fomos muito mais fortes.
Se tu queres pressionar a bola a todo o momento, não jogas curto…
Se és dominante no jogo aéreo, jogas directo e longo…
Há muitos poetas no futebol, mas os poetas não ganham muitos títulos!

Nós sabíamos onde é que eles eram melhores do que nós, sabíamos onde é que éramos superiores a eles, matamos as suas boas qualidades e exploramos as suas fraquezas, fizemos isso muito bem desde o primeiro minuto e merecemos totalmente este troféu.

Luís Nuno
Sobre Luís Nuno 5 artigos
Co fundador do "Lateral Esquerdo", licenciado em Desporto. Ex jogador da formação do SL Benfica e Sporting CP, tem o curso de treinador Uefa A, e é actualmente treinador de futebol numa Academia em Inglaterra.

13 comentários em As finais não se jogam. Ganham-se!

  1. Eu sou alguém no futebol. Sou um espectador.
    O espectador é alguém no futebol, não é?
    Aliás, acho que até somos a maioria!
    No outro dia, num estádio onde fui, nós espectadores éramos uns 50.000, os jogadores eram uns 30, e treinadores eram uns 5 ou 6.

    Pago para ver futebol. Agarro numa parte do meu ordenado e uso-o para ver futebol. E podia usar para outra coisa. E mudo mais facilmente para outra forma de entretenimento que o treinador, aposto. É só pegar no comando e passo para o ténis.
    Basicamente, eu sou um cliente. É certo que num grupo muito pouco privado há uma verdade que é tida como comum a todo o grupo, a de que o cliente tem sempre razão. Dizem eles que essa verdade é “universal”. Curioso, não?

    Na final da Liga Europa, independentemente de quem ganhou ou de quem perdeu, eu vi a primeira parte, mas já não vi a segunda. E tenho esse direito, não?
    E se pudesse pedir o dinheiro de volta, pedia. Infelizmente ainda não tenho esse direito. Só porque ainda não há “Mourinhos” suficientes. Porque quando existir, aposto que essa inovação aparecerá. Ou outra que solucione o problema. As soluções normalmente aparecem só quando os problemas passam a afectar demasiado. Os mercados têm tendência a autoregularem-se, e a encontrar soluções quando elas são necessárias. Basta o fluxo de dinheiro começar a diminuir, que alguém irá procurar a razão disso acontecer. Em qualquer mercado. O do futebol não é diferente.

    Eu não preciso ser cozinheiro para dizer que não gosto dum restaurante.
    Eu não preciso ser costureiro pata dizer que não gosto duma peça de roupa.
    Eu não preciso ser engenheiro para dizer que não gosto dum telemóvel, dum carro, ou duma máquina de cortar relva.
    Eu não preciso ser banqueiro para dizer que não gosto dum banco.
    Eu não preciso continuar para se perceber a ideia, pois não?

    O Mourinho pode ser o melhor do mundo. Ganhar tudo em todo o lado. A forma como as equipas dele jogam, neste momento e nos últimos anos, eu não gosto. E não percebo por que é que isso pode fazer confusão a alguém. O que me faz confusão é isso fazer confusão a alguém, porque as razões me parecem tão óbvias e claras.

    As finais ganham-se! Que lindo chavão!
    E os clientes?
    Perdem-se? Ganham-se? Empatam-se?

    Eu não sei porque faz confusão abrir qualquer rede social e ler críticas negativas demasiado acentuadas ao Mourinho. São redes sociais. São para ser usadas pela sociedade para socializar. E a sociedade aposto que tem mais espectadores de futebol do que treinadores de futebol. Pois então, as críticas são as simples opiniões dos espectadores. Esses malandros que pagam para ver futebol… e ainda têm o desplante de opinar.

    • O Raciocinio faz sentido, também não gosto de ver as equipas do Mourinho atual e não acredito sequer que este caminho o vá deixar perto das vitórias na Champions e na Premier League, apesar de poder ir colecionando troféus menores.

      No entanto deixaste de fora da equação algo muito importante, é que muito mais que espectadores ou clientes interessam ou deviam interessar os adeptos, e esses mais do que tudo querem é ganhar. Por isso, milhões e milhões de adeptos do United ontem festejaram e esses não vão deixar de ver o jogo porque é enfadonho…

      • Não, eu não deixei nada de fora da equação. Disse exactamente o que queria e que achei que tinha de dizer.
        Simplesmente porque não me faz confusão nenhuma que os adeptos do Manchester United festejem a vitória, ou que as qualidades do Mourinho sejam enaltecidas.

        Eu hoje vim a este blog para ler sobre aspectos do futebol que não posso ler facilmente em outros lados. Em vez disso hoje li que eu e milhões de outros não somos ninguém no futebol porque nunca treinámos ninguém. E que quando eu e milhões de outros criticamos o Mourinho nas redes sociais, isso faz IMENSA confusão ao Sr. Luís Nuno. Não um bocadinho, mas imensa. Como se não tivéssemos esse direito.
        E foi isso que me fez confusão. E foi isso que comentei.

        Se eu estivesse a comentar outra coisa qualquer, tentando defender as muitas qualidade do Mourinho, garanto-lhe que além disso que referiu, eu conseguiria dizer muitas coisas mais.
        Tão facilmente escrevo 10 páginas sobre as qualidades do Mourinho, como 10 páginas sobre o direito do espectador criticar os intervenientes do espectáculo.
        E obviamente os argumentos em cada um dos casos são diferentes, o que não implica que sejam contraditórios.

        O Sr. Nuno Luis acha curioso que noventa porcento dos que têm experiências relevantes no jogo e fazem do futebol a sua vida, tenham uma opinião contrária aos muitos que criticam Mourinho nas redes sociais.
        Eu não acho nada curioso. Acho perfeitamente natural.
        Porque uns ganham dinheiro com o futebol, e outros gastam dinheiro com futebol.
        É como no mercado imobiliário o Sr. Nuno Luis achar curioso que os vendedores tenham uma opinião contrária aos compradores no que diz respeito aos preços das casas. Quando o natural é os compradores acharem que seria melhor estar mais baixo, e os vendedores acharem que seria melhor estar mais alto.

        É óbvio que o treinador quer ganhar mais dinheiro e ter sucesso. E para tentar ganhar mais dinheiro e ter sucesso, uma das formas de o fazer, e talvez a mais habitual, é tentando ganhar mais jogos. E por isso o treinador tem uma visão acerca do Mourinho. Porque Mourinho é um modelo de sucesso para os treinadores. Não o único modelo, mas um dos possiveis.
        O espectador quer que a sua equipa ganhe. E quando a sua equipa não está envolvida, quer ver bom futebol. E por isso tem outra visão acerca do Mourinho. Porque o Mourinho lhe estragou a noite de 4ª feira, que estava destinada por muitos espectadores para ver um bom espectáculo de futebol, e acham que não viram.

        E muito sinceramente não vejo nada de curioso nisto.
        Por isso a reposta à pergunta “curioso, não?” é mesmo NÂO! Não mesmo.

    • Tu se trabalhasses a atender num restaurante punhas-te a oferecer comer aos clientes ás escondidas do teu patrão? Só porque o cliente ficava mais satisfeito com isso? Ou fazias o teu trabalho como deve ser e de acordo com o que queria quem te pagava? O Mourinho foi para o United para voltarem a ganhar títulos, não foi para dar-te orgasmos futebolísticos e mesmo assim só não os tiveste a nível táctico se não os quiseste ter. Queres ver futebol de praia é noutro sitio que não num campo de futebol 11.

  2. Eu também não gosto! Mas gostar é uma coisa, perceber é outra.. e ao Mourinho não pediram para que gostassem, mas pediram para ganhar…
    Eu preferia ter gostado do jogo, fosse quem fosse quem ganhasse… mas quem paga ao Mourinho e quem contribui para que lhe paguem prefere que ele ganhe…e agora?

  3. Para concluir… quem diz que não gosta não deve ser criticado, na minha opiniao…agora quem critica dizendo que é errado como se soubesse mais que o Mourinho e depois andam ai nos distritais a perder fim de semana atrás de fim de semana… poupem-me… lá por serem parvos não queiram fazer os outros de parvos…

    eu não gosto… mas de certeza que ele sabe mais que eu…

  4. Ok, estrela, como tu és o mestre do futebol então podes namorar com o Mourinho à vontade. Agora, não nos venhas com estas tretas como se fossemos todos parvos. Eu caguei se o Mourinho ganhou ou não ganhou a Liga Europa com o United, assim como caguei para a vitória do Di Matteo com o Chelsea. Ganhou a Champions! E eu com isso. Não jogavam uma beata e as equipas do Mourinho não jogam uma beata há muito tempo. É a única coisa que me interessa em relação às equipas do Mourinho, tuas, do Maldini, do Artur e do Kiluanji!

    A única equipa que me interessa saber se ganhou ou não ganhou é o Benfica – e mesmo assim não me serve qualquer vitória.

    Alguém se lembra do velho Trap para alguma coisa? Eu lembro, por acaso, que é para ver se nunca mais se repete aquele futebolzinho de merda.

    Para finalizar, é seguro para mim que tenho muito mais consideração pela maioria dos poetas do que pelo retranqueiro milionário chamado Mourinho.

  5. ahahaha já sabia que ia ficar tudo muito ofendido loooool Portugal, aquele país onde todos pensam perceber de futebol 😀

  6. Mais que tudo, neste paìs jà ninguem respeita a hierarquia e a mestrez. Fica tudo ofendido pelo orgulho de outros saberem mais em certos asuntos.A humildade tambem se perde neste paìs. E quando a filosofia da vida é o clientelismo, podemos deixar as chaves que tivemos, jà nao somos nada.

  7. Acho que o LE, e outros espaços dentro do mesmo registo, começam a ter o efeito perverso de criar no comum adepto uma ideia e uma exigência irreal do que é o “bom futebol”, “bom treinador” ou “bom jogador”. Por mérito dos autores, a qualidade do que se diz aqui, e a qualidade com que é dito, cria em muitos leitores a ilusão de um conhecimento que na realidade, em muitos casos, não têm. O que por aqui se lê, para quem é leigo, permite uma capacidade de compreensão do jogo que antes não existia. Mas que não deixa de ser insignificante ao pé de quem realmente sabe, dando origem a uma espécie de “novos-ricos” que gostam de ostentar, completamente desenquadrados da realidade.

    Acho a competência do Mourinho inquestionável. Tenho a certeza, e o jogo deu claramente essa sensação, que tudo aconteceu exactamente como ele quis. Àquele nível acho que ninguém incompetente faz isso. Não ser um espectáculo bonito é outra coisa que não tem nada a ver com a competência e qualidade dele. Acho que o comum adepto – onde me incluo – não tem legitimidade nem capacidade para dizer que a vitória dele com o FCP provou melhor competência, foi mais difícil ou que deu mais trabalho. O adepto sabe lá o trabalho que dá uma coisa e a outra.

    Eu não gostei de ver. Como admirador do que ele fez antes fico triste por já não o fazer agora. Mas isso não põe em causa a competência. Se houve coisa que ficou óbvio naquela final, foi que o Mourinho e a sua equipa foram mais competentes que os adversários, e o seu mérito é total.

    • Comentário top top top! Já tinha pensado muita vez nisso… os proprios blogs… mta banha da cobra… falsos entendedores… fácil topar os que vão copiando daqui… só mesmo este pelas pessoas que aqui estão têm credibilidade! Os outros topa-se ao longe que são de malta fora do centro!!!

2 Trackbacks e Pingbacks

  1. Notas sobre Cardiff: Modric e Kroos. E Totti, Francesco Totti. – O Blog de Notas
  2. Mourinho, a final da Liga Europa. O que eles podem e querem dar. Ainda o modelar e o desmontar. – Lateral Esquerdo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*