Raúl Meireles e Lucho

white corner field line on artificial green grass of soccer field

“Recepção dirigida para a baliza adversária, e jogar o mais simples possível. Dois, três toques. Faze-la chegar o mais rápido possível aos avançados.” Raúl Meireles.

Na simplicidade de processos (Defensivos. Contenção aos médios adversários, coberturas aos colegas de equipa e restabelecimento de equilibrios. E ofensivos. Primazia pela circulação rápida da bola e pelo garantir de apoios (linhas de passe, numa linha mais recuada, no campo de jogo) ao portador da bola) dos centro campistas, residiu o ponto mais forte do FC Porto, nas últimas épocas.

Lendo a afirmação de Meireles, percebe-se que, provavelmente, qualquer jogador profissional seria capaz de o fazer. Contudo, raros são os que possuem esta capacidade intelectual de jogar unicamente em prol do colectivo. Também, porque em muitas equipas, não há uma ideia colectiva para o jogo. Apenas onze jogadores soltos, que tentam criar algo. Cada um por si.

Para Jesualdo Ferreira, reagir à perda de Lucho será, provavelmente, o seu maior desafio desde que chegou ao Porto.

P.S. – Após a partida de “El Comandante”, para o FC Porto, perder Meireles, seria, seguramente, mais trágico, do que ver partir Bruno Alves, Lisandro, e/ou principalmente, Hulk.

P.S. II – Incrível como Lucho e Meireles, passam pelos jogos, tendo a bola na sua posse, somente, por breves minutos por jogo, e ainda assim, são o suporte de toda a equipa, não é? É que, quando em organização ofensiva, menos toques na bola, corresponde, geralmente, a mais qualidade.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 2366 artigos
Criador do Lateral Esquerdo, é também professor no Estádio Universitário de Lisboa. Treinador de futebol, tendo almejado diversos titulos nacionais. Experiência como coordenador de futebol formação e palestrante em diversas Faculdades de Desporto. Autor do livro "Construir uma equipa campeã" da editora PrimeBooks.

7 comentários em Raúl Meireles e Lucho

  1. No futebol como na vida…. cada um por si e Deus por todos!

    Bem como "menos toques na bole, corresponde em geral, a mais qualidade"…. assim é mais ou menos o mesmos (na vida) quanto menos falas menos probabilidade tens de errar!
    Os verdadeiros artista são mesmo assim e sem dúvida (apesar de me custar dizer isto, pois falamos de um jogador do FCP) Meireles esse grande senhor!

  2. E este sera o grande problema de Jesualdo… como diz meireles a funcao dos medios e por a bola nos avancados e dar apoio… por isso o jogo do FCP e cada vez mais deprimente… nao devem ser os avancados a transportar a bola para o ataque senao nao se criam superioridades numericas… os medios e que deviam transportar a bola de maneira que os avancados, quando finalmente a recebem so se preocupem com os defesas adversarios e nao com os medios tambem….

  3. O Meireles, qd profere essa declaração, está a referir-se ao momento da transiçao defesa-ataque.

    e a verdade, é q o FCP foi fortissimo nesse momento. A velocidade com que Lucho e o proprio Meireles conseguiam colocar a bola em Rodriguez, Hulk ou Lisandro, garantia que os avançados qd recebiam a bola, só tinham os defesas pela frente e… tinham meio campo para correr!

    Ou seja, situaçoes de 3×4 em 40,50 metros de profundidade… se fores rever os golos todos q o FCP marcou (principalmente fora de casa), encontrarás mais de uma dezena de golos dessa forma.

    Nesse momento, n jogar simples e rápido, permitiria ao adversario reposicionar-se no campo.

  4. É que, quando em organização ofensiva, menos toques na bola, corresponde, geralmente, a mais qualidade.

    Explícaselo a los benfiquistas que critican a Aimar por jugar al primer toque

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*