Facilitador. O homem que não está no golo, nem nos passes que o antecedem.

Mas tantas vezes no início da definição de toda uma jogada.

Num post recente falavam-se das consecutivas más decisões de jogadores do FC Porto no momento da posse. Não retirar a bola do centro do jogo após recuperação quando o espaço escasseia e sobra noutro corredor. Ou simplesmente o jogo demasiado vertical e por cima que tantas vezes opta.

No golo do Braga não há muito de Xeka, mas há o suficiente para se poder considerar que com uma decisão diferente, que seria provavelmente mais imediata, mais simples e mais fácil, talvez o lance não se desenvolvesse com as possibilidades com que se desenvolveu. Possibilidades maiores porque espaço e vantagem numérica permitiram que nunca fosse necessário gestos técnicos de dificuldade elevada para se chegar ao golo.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 2359 artigos
Criador do Lateral Esquerdo, é também professor no Estádio Universitário de Lisboa. Treinador de futebol, tendo almejado diversos titulos nacionais. Experiência como coordenador de futebol formação e palestrante em diversas Faculdades de Desporto. Autor do livro "Construir uma equipa campeã" da editora PrimeBooks.

2 comentários em Facilitador. O homem que não está no golo, nem nos passes que o antecedem.

  1. Craque da cabeça aos pés. Já o tinha visto a jogar n equipa B e na altura perguntei-me como não tinha subido. Completo em todos os momentos, muito critério. A assistência dele, e o passe para o Wilson num dos golos é de mestre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*