“MarsBet”

A velocidade de Xabi Alonso

“…não estava rápido, mas estava rápido a pensar e eu atribuo muito mais significado, no meu jogo, a um jogador que pense rápido do que a um jogador que corra muito e deixe a bola ficar para trás.” Vítor Pereira, sobre Lucho

Xabi Alonso anunciou este ano o final da sua carreira. O corpo já não responderá da mesma forma às exigências físicas do jogo, mas a capacidade e qualidade de interpretação mantêm-se num nível superior. Num simples lance entendemos a natureza do jogo. São 5 segundos em que percebemos, facilmente, o maior valor da velocidade. De um lado, o super veloz Coman, do outro, o quase reformado Xabi Alonso. A capacidade para percepcionar e adaptar uma solução eficaz a uma velocidade estonteante não encontrou resposta nas botas supersónicas do jovem francês. Vejam as diferenças e percebam o porquê da predominância do cérebro sobre o físico, mesmo no futebol.

 

 

Bruno Fidalgo
Sobre Bruno Fidalgo 57 artigos
Licenciado em Ciências do Desporto. Criador e autor do blog Código Futebolístico. À função de treinador tem aliado alguns trabalhos como observador.

6 comentários em A velocidade de Xabi Alonso

  1. Incrível. O tempo que Coman demora a perceber o que tem de fazer e que devia ser óbvio para ele. Fantástico também o Xabi Alonso. Não percebo como é que alguém no Bayern ligado ao futebol pode sequer pensar que um jogador com o perfil do Renato Sanches pode algum dia substituir este senhor.

    • É uma questão de professores.

      Disse no post sobre recepção orientada que quando o Weigl começou a aprender o que era uma recepção o Busquets andava a treinar com Guardiola e a disputar uma vaga com Xavi. Sendo redutor, ilustra um bocado o que se espera de um treinador-formador e dos colegas.

      Na minha óptica, com a anterior gestão e com o plantel à disposição dos bávaros, o Renato tinha tudo para evoluir. Talvez não para fazer de Xabi, mas para ser jogador de top. Neste momento já estão contratados Rudy e Süle, e se o primeiro concorre directamente com Renato, o segundo pode ser muito mais o Xabi que eles precisam.

      Só que isto é consequência também da abordagem ao mercado para as bandas da Luz. As vendas de Renato e Guedes são prematuras. São jogadores que se por um lado não estão preparados para as realidades que vão encontrar, por outro seriam úteis e poderiam desenvolver-se no “mercado interno”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*