“MarsBet”

Defender bem. A arte da inteligência.

Por muito que nos vendam estatísticas que queiram quantificar performances individuais, o jogo, o bom jogo, está completamente longe de poder ser interpretado ou quantificado por números que queiram trazer avaliações qualitativas. Porque não se pode quantificar a qualidade do que mais importa! As decisões!

Defender bem é cada vez mais ser inteligente. É usar as regras do jogo. Defender bem é na grande maioria das vezes não intervir. Não cortar, não tocar. Só mover para eliminar oposição. Posicionar para controlar. Defender bem não é ir corrigir. É antecipar. Identificar, decidir e agir. Mesmo que nunca tocando na bola, mas condicionando todo o jogo do adversário.

Há não muito falou-se na abolição da regra do fora de jogo. O maior disparate de todo o sempre. A regra do fora de jogo é a base de todo o futebol. É dela que tacticamente tudo se desenrola e decide. Não sei como no futebol se podem quantificar decisões como a de Piqué. Mas, defender bem é isto:

 

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 2706 artigos
Criador do Lateral Esquerdo, é também professor no Estádio Universitário de Lisboa. Treinador de futebol, tendo almejado diversos titulos nacionais. Experiência como coordenador de futebol formação e palestrante em diversas Faculdades de Desporto. Autor do livro "Construir uma equipa campeã" da editora PrimeBooks.

8 comentários em Defender bem. A arte da inteligência.

  1. Discordo e acho que o fora de jogo pode ser abulido. Mude-se a forma de jogar. As defesas reaprendam como jogar sem ajuda.

  2. O futebol que encanta os seus amantes….é isto, acima de tudo inteligência (e técnica)….post brutal…..e não é de nenhum golo :)….isto não é para todos, é só para quem o Ama (o futebol:))….

  3. Este artigo vai de encontro a um anterior artigo a falar do controlo de profundidade do Rio Ave. Ambos muito claros a transmitir a ideia! Em relação à análise, totalmente de acordo, pois se os jogadores passam mais de 90% do tempo sem bola, não faz total sentido só analisar quando o jogador tem a bola. Como disse, a inteligência não se quantifica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*