“MarsBet”

FC Porto 2017 / 2018. Parte II.II.

FUTEBOL - Marcano. Jogo Porto - Chelsea, a contar para a fase de grupos da Liga dos Campeoes, realizado no Estadio do Dragao no Porto. ( Epoca 2015/2016 ). ( VITOR GARCEZ/ASF ).

Algumas incertezas no centro da defesa. Se Felipe parece ter o seu lugar garantido, todos os outros centrais por um motivo ou outro, poderão estar na porta de saída. Há quem tenha demasiado estatuto para ficar como terceira opção, e apesar das várias alternativas, é expectável que muitos sejam transferidos e o FC Porto ainda se encontre em situação de ir ao mercado, na procura de um central com maior potencial de crescimento, e menor estatuto que o de Reyes ou Indi.

Defesas Centrais:

Felipe. Depois de uma temporada em que saiu bastante valorizado, deverá ter o seu lugar garantido no centro da defesa. Chegou à Europa um pouco tarde, o que lhe deverá inviabilizar uma progressão maior na carreira. De excelentes traços individuais, sobretudo em tudo o que é defensivo, vence permanentemente os seus duelos, o que na Liga portuguesa é desde logo um garante de segurança. Para se tornar mais completo, precisa de evoluir no jogo com bola. Pouca progressão, pouca iniciativa para uma construção que promova problemas no adversário. E num clube da dimensão do FC Porto, tal é muito importante.

Marcano. A um ano do término do contrato, fica a incerteza sobre se o FC Porto não pretenderá transferir o central espanhol para que possa rentabilizar o investimento. Ficando na invicta, deverá formar com Felipe a dupla de centrais que tanto sucesso defensivamente teve na temporada finda. Também com traços físicos muito apreciáveis, foi crescendo tecnicamente e na leitura dos lances com a experiência na Liga portuguesa. Mais qualidade com bola que o colega do lado, mas ainda assim a poder crescer um pouco mais. Na última época provou ser garantia de fiabilidade.

Boly. Incerteza quanto à sua continuidade. Depois de uma época positiva no Braga não conseguiu o seu espaço no FC Porto. Tendo mercado, o mais natural é a saída, uma vez que apesar de alguns traços individuais interessantes, denota dificuldades no capítulo defensivo, demorando a mover-se com a agilidade necessária. Tem nível para permanecer como terceira opção, mas tudo dependerá da forma como o FC Porto se irá mover no mercado.

Martins Indi. Dificilmente haverá vontade de ambas as partes para que se consume o seu regresso. Com imensas dificuldades técnicas, de decisão e de posicionamento, o central da selecção holandesa não conseguiu causar impacto no FC Porto. Porque foi influente no Stoke City, na Premier League, poderá possibilitar um encaixe importante para os azuis e brancos. Demasiado caro para não ser opção inicial. Falta de qualidade para estar na dupla de centrais mais utilizada. Não deverá continuar.

Diego Reyes. Tal como Martins Indi, vem de uma temporada numa Liga importante, onde conseguiu ter o seu espaço. Aliado à má época realizada na sua última passagem por Portugal, deverá fazer com que esteja na porta de saída para que se possa rentabilizar o investimento. Com maior experiência de jogo na Europa, com maior integração nos modelos defensivos zonais, poderia, ficando, mostrar o que cresceu. Todavia, talvez seja demasiado caro para partir como terceira opção. Além de que o próprio atleta poderá estar pouco disponível para voltar atrás. Ainda que não seja Reyes quem tenha a última decisão…

Rodrigo Castro
Sobre Rodrigo Castro 74 artigos
Rodrigo Castro, um dos fundadores do Lateral Esquerdo. Licenciado em Ed física e desporto, com especialização em treino de desportos colectivos, pôs graduação em reabilitação cardíaca e em marketing do desporto, em Portugal com percurso ligado ao ensino básico e secundario, treino de futsal, futebol e basquetebol, experiência como director técnico de uma Academia. Desde 2013 em Londres onde desempenhou as funções de personal trainer ligado à reabilitação e rendimento de atletas. Treinador UEFA A.

1 comentário em FC Porto 2017 / 2018. Parte II.II.

  1. Felipe- Não concordo no tudo o que é defensivo, falta-lhe escolher melhor os timings: não sabe tão bem quando fazer contenção e quando partir para roubar a bola.
    Marcano- Este tem de ficar, uma espécie de Luisão: quem joga ao lado dele tende a não mostrar tanto as suas fragilidades.
    Boly- Vai para Inglaterra.

    Acho que faltam 2 centrais porque o Reyes e o Indi não devem ficar. Contratava um central e subiria um da B.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*