Medeiros e todos os que nunca jogam mal, mas não jogam!

Com a frustração de resultados menos positivos e com exibições que não acompanham as expectativas, os adeptos, grande maioria, torna-se saudosista e principalmente incoerente.

De candidato ao titulo em Portugal, Iuri foi procurar espaço para Itália, para o Génova, 13º classificado da Série A!

Antes de partir, nas bancadas quando os jogos mais fechados se tornavam desesperantes, pedia-se Iuri! Das poucas vezes que entrou, Medeiros apresentou sempre o mesmo ritmo, a mesma passada a mesma intensidade. Com bola no pé, não desilude, tem a técnica dos predestinados, mas futebol não são matraquilhos, não se pode jogar parado e com uma intensidade baixa.

Iuri não pode ser um jogador que joga apenas uma das fases do jogo e num raio de 10/15 metros!!! Falta-lhe o físico, a intensidade, a passada a reação e por vezes a concentração para executar o mais simples! Não se pede que a cada lance se bata o record dos 100 metros, ou que entre em tackle sobre cada adversário como se de futebol americano se tratasse, pede-se que com bola seja inteligente como é e sem ela ocupe o espaço, reaja á perda, que compense, que se desloque a uma velocidade diferente de uma peladinha de Domingo de manhã no ringue do bairro.

Não podemos ser fundamentalistas e separar o físico do restante, um jogador apenas físico não terá sucesso estratosférico, mas sem o físico em qualquer deporto, óbvio que não será nada…

O físico tem de la estar, por isso há escalões de idades na formação e os que maturam mais rápido acabam por se destacar, por isso há futebol feminino e masculino, há diferenças físicas e quem as tem mais acentuadas, juntando-lhe tudo o resto terá maior sucesso.

Ou acham que Messi seria Messi se aliado á técnica e inteligência não tivesse a velocidade com e sem bola!? Imaginem Messi com a velocidade de execução de transporte de bola e disponibilidade para o jogo de Iuri Medeiros…Seria Messi? Jogaria de cadeirinha? Podia jogar, mas não no Barça e não a top. Como ao contrário Bolt não ficará no plantel do Dortmund, por apenas ser rápido, sem bola!!!

Imaginem o que falta a Oliver Torres, o que seria se lhe adicionassem um pouco mais de rotação (os mais radicais, diriam que não lhe falta nada, joga sempre bem e todos os que o lideram é que estão errados), imaginem Ballotelli se a tudo o que tem, lhe juntássemos a mentalidade!

Em suma para além da técnica e da tática tem que haver sempre uma predisposição física e mental para lá chegar! Não podemos separar os ingredientes, sob pena de o bolo ficar amargo!

Alguém, um dia disse que para se ter sucesso ninguém pode querer mais do que o próprio individuo! Não podem ser os pais, a namorada o empresário ou o vizinho a querer! Tem de ser o atleta! Há os que querem e tudo fazem, há os que se acomodam ao conforto do que já lhes chega e há os que desistem… Os que se acomodam, são os celebres donos do ringue do bairro, a esses, diremos que “passaram ao lado de uma grande carreira”.

Desde que chegou a Itália, Iuri tem 55 minutos de jogo!

22 28/01/18 C (15.) Udinese Calcio  (9.) 0:1 não esteve no plantel
23 05/02/18 F (15.) Lazio  (3.) 1:2 25′
24 11/02/18 F (13.) Chievo Verona  (15.) 0:1 Suplente não utilizado
25 17/02/18 C (12.) Inter  (3.) 2:0 Suplente não utilizado
26 24/02/18 F (12.) Bolonha  (13.) 2:0 30′
28 11/03/18 C (13.) AC Milan  (7.) 0:1 Suplente não utilizado
29 18/03/18 F (13.) Nápoles  (2.) 1:0 Suplente não utilizado

16 novembro de 2017 Jorge Jesus, sobre a ausência de Iuri Medeiros da convocatória:

“Só posso convocar 18 e quis dar oportunidade ao Mattheus Oliveira. Funcionamos muito por aquilo que os jogadores treinam e as decisões são em função do que tu treinas…”

Não sendo Mattheus um jogador estratosférico, imaginamos o que treinará Iuri! Esperamos que acorde, ainda está a tempo!!!

 

Dejan Savicevic
Sobre Dejan Savicevic 41 artigos
Treinador, apaixonado por desporto, futebol e treino. Experiência em campeonatos nacionais na formação e atualmente ativo no futebol sénior. Colaborador na área de scouting e análise de jogo, com vários treinadores e equipas do campeonato nacional da Primeira Liga. contacto - galeiras@gmail.com

11 Comentários

  1. Sempre achei que não era jogador para o Sporting, não tem intensidade nenhuma, embora seja bom com a bola nos pés.
    Rafael Leão também não tem reação à perda de bola, mas esse ainda tem 18 anos está muito a tempo !

  2. Boa análise.
    Jogador com um bom pé esquerdo, nada mais.
    Não tem a mentalidade, ou pelo menos ainda não a tem, de trabalhar, de evoluir, de dar tudo o que tem em campo.
    Foi um jogador que sempre teve o rótulo de estrela na academia, e pensou que isso lhe bastaria para vingar no futebol profissional.

  3. Jogador que a exemplo de tantos outros lhe falta a ambição de ser cada vez melhor, parece-me que o Iuri já perdeu o comboio para chegar ao que prometia com os seus 18/19 anos.

  4. Boa análise. Lógica sem dúvida. Concordo, deixo só algumas notas em forma de questões sobre o que vou lendo ao longo dos tempos:

    No Boavista tinha intensidade ou não?

    Quando jogadores singram, a opinião dá mérito aos treinadores potenciadores?

    Numa outra forma de jogar, o jogador tinha conseguido se impor mais?

    Bruno Fernandes é um jogador que foi potenciado esta época. Isso deve-se as suas características (físicas, mentais, técnicas, taticas) ou ao treino?

    Oliver, por exemplo, no Benfica jogaria mais ou menos? Chegaria ao final de época mais valorizado?

    Obrigado

    • Boas,

      No Boavista (e como já foi dito aqui num outro post) é mais fácil. Ele era o melhor que por lá havia, tinha que jogar! No Sporting existe muito mais concorrência e, para se jogar, há que haver esforço e demonstração de vontade.

      Noutra forma de jogar ou modelo de jogo a premissa é a mesma. Não trabuca, não manduca!

      • Exatamente.

        Posso dizer que ouvi falar que na época passada ele era dos piores a treinar no Boavista, mas chegava aos jogos e resolvia, por isso tinha alguma moral para não treinar tão bem no Boavista.

        No Sporting se não treinar bem há mais algum tão bom ou melhor que ele, e se não houver vai-se buscar. Não se pode admitir que numa equipa grande exista um jogador que nem tem estatuto no grupo e ande a treinar a passo…

  5. Certo e não era preciso tantos pontos de exclamação. Acontece que há outros factores que se intrometem nas escolhas dos treinadores e podem ser bastante diversos. Toda a gente percebeu logo que o JJ não aprecia o futebol do I. Medeiros e que só por mero acaso seria uma opção válida. Está no seu direito, obviamente, mas o JJ tem alguma história de opções erradas na escolha de jogadores. O Markovic teve muito mais minutos do que o Iuri e intensidade, zero. O Misic leva mais minutos do que o Iuri e rotação, zero. Obviamente que o Iuri não será um anjinho e tem culpas no cartório, certamente, mas a qualidade está lá. Cabe também a ele encontrar um contexto favorável – isto faz toda a diferença, o contexto – e ainda vai ter mais uma época no Génova, em princípio. Não está fácil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*