Os que atacam e os que defendem

Há não muito tempo uma das pessoas que comenta futebol em Portugal referia a distância entre os que defendem e os que atacam como um problema de uma equipa. Os anos passam e continuamos a ter de ler ou ouvir estas coisas.

Para os que ainda não conseguiram lá chegar… Hummels fala sobre o que sucedeu à Alemanha na sua estreia.

“Se há 8 jogadores nossos que só atacam as coisas ficam complicadas. É preciso que a equipa defenda como um todo”

Sim, falar de distâncias entre os que atacam e defendem é um absurdo e em nada muda o jogo para um lado ou para o outro.. Pelo contrário. Já que não defendem até se ganha mais em tê-los profundos para se chegar mais rápido quando se recupera. Problema é haver quem ataca e quem defenda! Porque todos devem atacar e todos devem defender. E à escala mundial somente dois ou três jogadores são suficientemente bons ofensivamente para que se molde o modelo sem os ter a defender!

 

15 Comentários

  1. Este post é dos mais ridículos que já li aqui no LE, com todo o respeito pelo autor.

    Como é que se pode achar indiferente defender perto ou longe do adversário? Se tu vais pressionar alto sem bola, é indiferente o teu bloco estar perto ou longe da equipa adversária? Estando longe dás tempo para pensarem, chegas sempre tarde, não oportunas verdadeiramente.

    Outro exemplo, 2ºs bolas que sobram de forma aleatória para a entrada da área (golo de Nacho ou Coustinho ontem), era indiferente a equipa que defendia ter um homem à entrada da área? Ia ser golo na mesma? Bom, se calhar até ia mas o mais certo era não ser, provavelmente quer Nacho, quer Coutinho pensariam de forma diferente por terem logo pressão e até resguardariam a posse de bola com um passe para trás ou lado.

    Sai mais um exemplo… uma equipa a atacar pela lateral, o ala cruza, estão 2×2 na área, os centrais x avançado e ala contrário, a bola vai alta (para cabeceamento) é indiferente os centrais estarem perto dos adversários? Óbvio que não, pois no tempo que a bola leva de ser cruzada a chegar à zona de ataque à mesma, teriam mais que tempo de antecipar o adversário e cortá-la ou pelo menos disputá-la, atrapalhando com isso em muito as probabilidades de êxito por parte dos atacantes.

    É óbvio que há posições e lances em específico que se tem que controlar a profundidade, um lateral também não convém estar a marcar em cima do ala, dando espaço nas costas e entre si e o seu central mais próximo mas no geral é importante defender perto do adversário.

    Como tal não percebo esta associação que o autor quer fazer entre defender longe ou perto e o que o Hummels diz, até porque o problema da Alemanha ontem foi um pouco de tudo.

      • mas também não concordo com o texto porque o Ferrari vermelho é mais bonito que o verde! Além do mais o Ferrari verde é o mais giro de todos e eu não gosto de batatas no peixe

  2. Estás a responder-te a ti próprio? Ou a 1º resposta era para ser “anónima”?

    Não te chateies comigo e contra-argumenta o que escrevi, responderes com pão é que não vale a pena.

    • nao era para ser anónimo nao. era mesmo para ti. mas contra argumentar o quê?!?! contra argumenta comigo o ferrari verde e as batatas…

      como é que ainda não percebeste?!? lê tudo de novo e na tumilhes cralhes

      • responder com pão não vale a pena mas o teu 1o o teu comentário ser sobre rojões e tu nem o perceberes é que tá certo… sim, me again

        • O quê que eu não percebi? conta lá! O teu texto não é sobre o quão indiferente achas defender perto ou longe do adversário? Juntamente com uma tentativa de associação ao que o Hummels diz para provar isso mesmo? Eu o que fiz foi provar-te o contrário do que pensas, saber defender perto do adversário é fundamental.

          Queres mais um exemplo p’ra ver se chegas lá? Uma equipa tá a atacar e um dos médios recebe bola rasteira entre a linha média e mais recuada da equipa adversária, é indiferente ter logo alguém a pressioná-lo? Responde-me lá tu a esta p’ra ver se já percebeste a ideia.

          • dou-te um novo exemplo eu!

            os brócolos não ficam bem com pizza mas eu adoro-os com pão de alho!

          • Continuas a preferir dar respostas de miúdos, que deves julgar serem muito inteligentes do que falar de futebol, fazes bem. Fica bem e deixo-te um tema já para o teu próximo post: “o quão inúteis são as bolas paradas!”

            Abraço

          • “Pelo contrário. Já que não defendem até se ganha mais em tê-los profundos para se chegar mais rápido quando se recupera”

            Este blog não defende um jogo direto, defende um jogo mais apoiado, um jogo direto torna mais fácil de defender a equipa que não tem bola.

  3. a) n entendes um boi de futebol
    b) n entendes um boi de português
    c) n entendes um boi de ambos!

    voto na c!

    pede ajuda a um amigo para decifrares o texto!

    sai uma dica: cita as frases que achas erradas e comenta com a tua opinião sobre o que é certo! creio que assim lá chegarás…

  4. O texto fala claramente sobre a ideia peregrina que continua a haver de que “há jogadores para defender e jogadores para atacar”, e esta criatura aqui nos comentários consegue desenvolver uma tese de mestrado à volta do que o texto não diz.
    Dica: está literalmente escrito no título do post.

    • começa por apelidar o texto como ridículo sem ter pecebido absolutamente nada do que leu ahahahah

      isto é cada encomenda ! e depois ainda fica aborrecido por não esgrimir argumentos sobre uma qulaquer realidade alternativa que desenhou sem que se perceba bem como e porquê 😨😨😨

  5. Gosto muito do LE e tem sido a minha ferramenta para crescer no entender do jogo. Sendo fã e patrono sinto que tenho a obrigação de fazer duas críticas construtivas.
    1º – Percebo a origem do primeiro comentário porque eu próprio fiquei confuso com o que queres dizer (se estavas a criticar ou não o comentador porque depois referes o Hummels que me parece dizer o mesmo), até achei que te contradizias algumas vezes por não seres explicitar. Assumo se calhar mea culpa por não ter conseguido interpretar.
    2º – A pior coisa que os moderadores/colaboradores da página podem fazer é responder aos leitores (que até podem “merecer”) em tom de gozo até insultuoso se não o que vos separa da caixa de comentários do record/bola é nula.
    Vocês são o modelo daquilo que de bom se faz e portanto tentem evitar aquilo que há anos que se vai fazendo mal!
    Grande abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*