O novo Sporting de Keiser

h

Na estreia de Keizer no comando técnico do Sporting, já foram notórias algumas das intenções ofensivas do treinador holandês para o jogar leonino. Com apenas 2 semanas de trabalho, já deu para perceber que o novo treinador do Sporting promove um jogar mais pausado, de domínio e de maior procura do corredor central.

No jogo de ontem, o Sporting tentou sair sempre de trás com uma construção a 4 e a procurar de imediato o corredor central. Nem sempre o conseguiu é certo, mas a ocupação do espaço central foi bem evidente da intencionalidade de Keizer para o jogar do Sporting. Foram várias as boas ideias que o Sporting demonstrou em ataque posicional para furar por dentro e por fora, colocando dois jogadores a oferecer sempre amplitude máxima e muita gente em zonas interiores.

Uma das dinâmicas bastante utilizadas pela equipa leonina contra o Lusitano de Vildemoinhos foi a variação entre movimentos no pé e apoio com o recuo de Bas Dost como apoio frontal e a entrada em ruptura dos interiores em simultâneo, mas principalmente Dost a ser solicitado com muita frequência para ligar por dentro. Outra das dinâmicas bastante utilizadas pelo Sporting foi a colocação de Bruno Fernandes a receber, com alguma frequência, no lugar de Jefferson que se projectava enquanto Nani derivava para zonas interiores.

Foi um Sporting mais capaz por fora do que por dentro, o que é natural dado que neste primeiro terço de época foi uma equipa que apenas desequilibrava pelos corredores laterais. No entanto, já se percebeu maior qualidade a entrar pelo corredor central através de combinações como aconteceu no segundo golo.

Há ainda muito para melhorar, como o posicionamento demasiado baixo de Bruno Fernandes participando de forma excessiva na construção e a própria transição defensiva, mas há uma margem de progressão tremenda para este jogar do Sporting. Foram bem visíveis as novas ideias de Keizer, mas será preciso tempo e estabilidade para que o Sporting possa crescer dentro deste modelo.

2 Comentários

    • Wendel, de facto. Não consigo perceber a embirração dos treinadores anteriores com ele (ok…ele treina todos os dias e eu não estou lá para ver, mas o talento existe e a sua presença é valor acrescentado). Muita atenção ao flash-interview do Bruno Fernandes que calhei de ver neste jogo: no meio das banalidades do costume (o espaço não dá para muito mais), terminou de uma maneira muito objectiva a sublinhar a relevância de coisas extremamente importantes para o jogo com ao simplicidade, as tabelinhas, o futebol a um/dois toques. E o Sporting tem gente capaz que lhe permitirá evoluir bastante nesse aspecto com a necessária potenciação na exploração do corredor central.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*