A nova geração de magos – Nuno Cunha, Ronaldo Camará, Tiago Ferreira e Vitor Ferreira

Vitor Ferreira é por estes dias o de maior notoriedade. A uma passo da equipa principal do FC Porto, finalista no Europeu sub19 disputado no verão passado, tem uma qualidade na execução bem visível na gestualidade e velocidade da mesma. Sempre a “tirar fotografias” a todo o envolvimento, percebe tudo o que o rodeia antes de decidir. É sénior de primeiro ano, o pequeno Iniesta português, e uma das grandes atracções futuras da Liga.

Ainda júnior Nuno Cunha, representa o Sporting de Braga. Resgata a aura dos antigos número dez, mesmo que tantas vezes tenha de encontrar o seu espaço partindo de posições mais recuadas para que com o seu genial entendimento do jogo e capacidade de execução ajude a equipa a chegar ao último terço. O Riquelme é português, senhores – Entendam-o! Se o vir perder uma bola, por favor devolva-a. Mas aguarde sentado.

No Sporting longe do corredor central (snif snif snif) cresce um Bernardo Silva. Sim, Tiago, tu podes e tens qualidade para lá chegar. Basta vê-lo receber uma bola para que se perceba que é diferente. Preso ao corredor esquerdo, mas autêntico mago muito mais definidor que agitador, Tiago Ferreira tem classe até na forma como pisa o relvado. Criatividade e nível técnico supremo de um miúdo que tem de saber que o seu dia chegará.

Tem nome de craque, joga como um craque. É seguramente um craque. Criatividade e acima de tudo inteligência inacreditável bem expressa na forma como tem sempre algo de diferente – para melhor – para tirar de cada lance. Ronaldo Camará tem a magia de quem parece ter nascido com uma bola no pé, mas não é só no gesto. É no entendimento do jogo. Agressivo e cumpridor nas tarefas defensivas, desde que se focou no que mais importa e deixou de parte comportamentos que não o beneficiavam, Camará explodiu e aquele aspecto franzino não será entrave à conquista do seu espaço.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3704 artigos
Pedro Bouças - Licenciado em Educação Física e Desporto, Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, bem como participado em 2 edições da Liga dos Campeões em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã", e Co-autor do livro "O Efeito Lage", ambos da Editora PrimeBooks Analista de futebol no Canal 11 e no Jornal Record.

1 Comentário

  1. Falta o Fábio Vieira,que tbm é um “mago”(mete a bola onde quer!).E que pra mim é ELE o “pequeno Iniesta portugues”…

    Vitor Ferreira(mais organizador,8)tbm é CRAQUEZÃO mas o Fabio é mais ofensivo(mais 10) por isso digo Fabio = Iniesta e Vitor = Xavi 😉

    Os dois devem absolutamente ser lançados na equipa A do Porto(Abre os olhos Sergio!)!
    Num 4-3-3 à la Guardiola… (Como faz com David Silva & De Bruyne).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*