O ano de Nuno Santos – Mil e uma formas de Criar

Sucessivas lesões graves atrasaram a afirmação de um talento indiscutível. Porque talento é não apenas habilidade motora, técnica e inteligência, mas também concentração, foco e disciplina.

Um canhoto que define em espaços curtos, capaz de criar alimentando o último terço tendo um impacto importante no jogo ofensivo sem nunca descurar as tarefas defensivas.

É hoje um jogador com bastante mais rendimento que qualquer outro (deixamos fora da equação Jovane para procurar perceber a consistência que poderá ter de hoje em diante, embora seja inegável que também ele teve esse rendimento na parte final da época finda) que actue no modelo de Rúben Amorim nos espaços mais adiantados.

2019 e 2020 foram os anos que marcaram o salto definitivo de Nuno Santos. Uma delícia ver cada bola que lhe sai das botas.

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*