Sporting. Incapacidade para dominar.

Várias são as lacunas do futebol do Sporting. Concentremo-nos na mais incomodativa, e que de certa forma afasta o Sporting, de FC Porto e Benfica, e o aproxima mais de qualquer outra equipa da Liga, teoricamente inferior. A incapacidade para subjugar o adversário a um jogo e a um posicionamento defensivo.
Ponto Prévio. Ter o adversário durante demasiado tempo no seu meio campo defensivo, não é agradável, mas pode até ser uma estratégia eficiente de chegar ao golo. Assim se tenha uma transição para o ataque bastante forte. Isto é, não incomodaria o tempo que qualquer Paços de Ferreira ou Naval passam a jogar no meio campo defensivo do Sporting, se a cada recuperação de bola, se seguisse um contra-ataque periogo. Tal não sucede, porém.
Como não há uma boa transição ofensiva, não se retira obviamente nenhuma vantagem do imenso tempo em que a bola está no seu meio campo defensivo. De facto, se se puder verificar o número de minutos em que a bola está no meio campo defensivo do Sporting, comparativamente com o dos seus dois adversários directos, seguramente que a diferença será algo de absurdo.
Esta incapacidade para dominar de forma regular e consistente, para obrigar o adversário a acantonar-se no meio campo defensivo, ou até nas imediações da sua grande área, não deriva da maior ou menor qualidade dos jogadores do Sporting. Mas, antes do mau posicionamento colectivo.
A linha defensiva joga demasiado recuada (mais do que o que a própria Naval fez em Alvalade), porque não se sente segura a jogar com metros nas costas. Mas, tal não seria um problema se os jogadores mais adiantados pressionassem o portador da bola em todos os momentos, impedindo-o de servir com qualidade a velocidade dos avançados. Com os defesas tão recuados, torna-se impossível aos médios encurtarem o espaço, e ao mesmo tempo jogarem (sem bola) no meio campo ofensivo.
Do jogador mais recuado do Sporting até ao portador da bola (adversário) a distância é bem maior do que o que o sucede com as equipas de Villas Boas ou Jorge Jesus. Além de que, a concentração de jogadores leoninos sobre o lado da bola (quando esta está na posse do adversário) é bem menor. É esta incapacidade para encurtar o espaço (trabalho que deveria ser feito nos treinos, por Paulo Sérgio), que impede o Sporting de ser dominador.
Não ocupando correctamente o espaço, o Sporting demora bem mais a recuperar a bola, e raramente a recupera no meio campo ofensivo. É seguro afirmar que por mais problemas que a equipa tenha, muitos seriam resolvidos com um treinador competente.
Mais que investir em jogadores com mais qualidade, torna-se premente perceber que apenas um treinador de elevado conhecimento táctico poderá voltar a colocar o Sporting ao nível dos seus dois adversários directos.
Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 2348 artigos
Criador do Lateral Esquerdo, é também professor no Estádio Universitário de Lisboa. Treinador de futebol, tendo almejado diversos titulos nacionais. Experiência como coordenador de futebol formação e palestrante em diversas Faculdades de Desporto. Autor do livro "Construir uma equipa campeã" da editora PrimeBooks.

5 comentários em Sporting. Incapacidade para dominar.

  1. Há uma velha máxima no futebol que diz: UMA EQUIPA JOGA O QUE A OUTRA DEIXA!

    O Sporting deixa sempre jogar o adversário de forma que até a Naval parece um Barcelona.

    Tens razão quando afirmas que o problema é o posicionamento.

  2. É seguro afirmar que por mais problemas que a equipa tenha, muitos seriam resolvidos com um treinador competente.

    Mais que investir em jogadores com mais qualidade, torna-se premente perceber que apenas um treinador de elevado conhecimento táctico poderá voltar a colocar o Sporting ao nível dos seus dois adversários directos.

    é tão mais fácil contratar um Cristiano…

  3. My feelings exactly.

    Acompanho este blog com assiduidade e vejo que aqui, raramente se escrevem disparates.

    Estou farto de dizer que, por maior que seja a crise, o problema do Sporting e muito simples.

    Contrate-se um treinador competente. Reservem-se 1 a 2 milhoes de euros por ano para o seu salario. Nao se lhe exija mais do que ficar em 2o lugar e vencer uma Taca nas 2 primeiras temporadas E (condicao sine qua non) colocar a equipa a jogar futebol de posse de bola com qualidade tecnica e tactica.

    As consequencias seriam obvias: para ficar em 2o lugar poucos treinadores pediriam mundos e fundos. Jogando bom futebol traz-se o publico de volta a Alvalade. Tendo uma equipa competente e capaz de praticar futebol atraente, os jogadores valorizam-se mais. O Sporting e de longe a maior maquina de formacao de Portugal e nao precisa de mais do que valorizar Daniel Carrico, Andre Santos e Diogo Salomao como eles podem ser valorizados para realizar encaixes financeiros capazes de desafogar o clube no curto prazo. Com os adeptos e a Imprensa por detras da equipa, conseguem-se realizar operacoes de aumento de capital com muito mais facilidade e comecar, lentamente, a endireitar as financas. De onde sairam Ronaldo, Figo, Futre, Moutinho, Simao, Veloso, Quaresma e outros, nao se duvide que continuara a sair materia-prima de qualidade – assim hajam profissionais competentes para os potenciar e valorizar como podem e devem ser valorizados.

    Cumprimentos

  4. É uma questão complicada. O ponto de vista do Petinga parecem ser válidos, no entanto acho que não é assim tão linear, sobretudo do que for a imagem a passar cá para fora, dos objectivos do clube. Por isso… Estou com o H e espero que o PS não leia o LE, eheheh!

    Abraço

    Márcio Guerra, aliás, Bimbosfera

    Bimbosfera.blogspot.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*