Mais e Menos da Semana

white corner field line on artificial green grass of soccer field

MAIS

Jesualdo Ferreira

Pode parecer repetitivo, mas o trabalho de Jesualdo no FC Porto, tem sido soberbo. Em Guimarães, o FC Porto entrou com 6 jogadores no seu primeiro ano de FC Porto. Dos 5 com mais de um ano de trabalho com Jesualdo, dois (Mariano e Farias) nunca foram escolhas consensuais.

Mais que o excelente resultado, notou-se um entrosamento fantástico. Todos os jogadores a perceberem como ocupar os espaços em cada momento. Futebol apoiado, jogos de coberturas, desmarcações de apoio e ruptura. Movimentos harmoniosos e previamente ensinados e treinados. A evolução colectiva do FC Porto é notória. O responsável maior, parece estar de partida. Será um erro.

MENOS

José Mota

Em quase todas as épocas, há equipas sensação. A justificação é simples. Umas, como o Vitória de Setúbal de Carvalhal, da época passada, são extremamente bem orientadas. Outras, porque têm vários interessantes valores individuais, acabam por se destacar com resultados inesperados. Como o Leixões de Wesley.

As primeiras resistem à debandada de individualidades. É que o valor está no colectivo. No treinador e na forma como organizou a equipa. As segundas, acabam sempre por voltar à normalidade. Ou porque os melhores valores sairam, ou porque fisicamente e psicológicamente não estão tão disponiveis.

O Leixões 08 / 09, independentemente das fantásticas proezas obtidas, nunca foi uma verdadeira equipa. Sempre um conjunto de individualidades interessantes. E no fim, os colectivos terminam sempre à frente das individualidades.

MAIS OU MENOS

Manuel Cajuda

As ideias ofensivas que sempre incute nas suas equipas, são interessantes. Nunca o poderão acusar de ter uma mentalidade defensiva. A forma descomplexada como as suas equipas encaram qualquer jogo, pode ser tida como uma virtude. Porém, não é. Saindo para o intervalo a vencer, e sabendo da dificuldade que o FC Porto tem em superar equipas que defendem com os jogadores bem próximos (retirando dessa forma, espaço aos velozes Hulk e Rodriguez), Cajuda falhou rotundamente na estratégia a adoptar na 2nda parte do jogo. Estar a vencer o FC Porto, e consentir situações de 3×3, 4×4, em 50 metros, com Hulk revela uma total inaptidão táctica, que dificilmente seria passível de ter sucesso.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3011 artigos

Criador do “Lateral Esquerdo”, tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto – Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino.

Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ).

Autor do livro “Construir uma Equipa Campeã” da PrimeBooks.

Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

1 Comentário

  1. Estou a gostar de ver o Jesualdo Ferreira a calar os seus detractores, que diziam que ele era fraquinho e só havia ganho 2 campeonatos porque beneficiara do trabalho de Co Adriaanse. De facto, é isso, é…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*