Cinco argentinos no ataque. Cinco golos.

white corner field line on artificial green grass of soccer field

Pablo Aimar. O mais importante de todos eles. Assim esteja bem. Tão bem quanto esteve no jogo com o Rio Ave. A sua importância não se limita à boa movimentação, colocando-se ora entre o sector defensivo e o do meio campo adversário, ora recuando para receber a bola ainda bem próximo do seu meio campo defensivo, nem se esgota na excelente capacidade técnica. Aimar dentro de campo é um autentico treinador. Ajuda e muito os colegas a decidirem. Se o seguir com atenção, pode reparar a forma como gesticula e indica o caminho a seguir aos seus colegas. No lance que termina com o seu golo, é Aimar quem pede a David Luiz que “traga” a bola.
Javier Saviola. Estando bem fisicamente, compete com Aimar em termos de importância na equipa. Tanto um como outro são jogadores de colectivo. Se os restantes colegas não ajudarem, ambos parecem menos decisivos. A época não tem sido fácil para el conejo. Parece menos apto fisicamente e isso limita-o. A confiança que parece estar novamente a adquirir, poderá ajudá-lo a voltar ao rendimento da época passada. A sua movimentação é absolutamente decisiva no processo ofensivo do SL Benfica.
Nico Gáitan. Facilmente se percebe que é um jogador de classe. Não tem tido um bom rendimento, porém. Lances soltos, aqui e ali, deixam perceber que tem um potencial enorme. Muito bom técnicamente, parece ainda procurar o seu espaço. Enquanto não se sentir totalmente seguro de si, continuará a desiludir os que lhe reconhecem capacidade para muito mais do que o que realmente tem mostrado.
Sálvio. Quase o oposto de Gáitan. Classe nem vê-la. Contudo, bate o colega em rendimento. Toda aquela forma determinada e agressiva com que enfrenta cada lance do jogo, beneficiam-o. Faz valer mais os seus atributos físicos do que propriamente os técnicos e intelectuais. Ainda que não seja o protótipo de jogador ideal para os autores deste espaço, pode e deverá ter sucesso, assim os seus treinadores saibam potencias as suas características. E tem apenas vinte anos.
Franco Jara. Aproxima-se mais de Sálvio que dos restantes argentinos. Vale pelos seus atributos físicos. É muito agressivo e procura estar sempre em jogo. Decide invariavalmente mal, dando constantemente primazia a impulsos individuais, e é limitado técnicamente. Tem vinte e dois anos, e continua a ser uma promessa. Tal como Sálvio, o seu sucesso dependerá do modelo de jogo em que estiver integrado. Vários são os jogadores valiosos que construíram uma carreira interessante, baseando o seu jogo somente na capacidade de explosão e agressividade. Pode acontecer com Jara. Ainda que não se possa considerar tal como previsível.
Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3382 artigos
Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã" da PrimeBooks. Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

9 Comentários

  1. Esta frase é fantástica:
    "Aimar dentro de campo é um autentico treinador. Ajuda e muito os colegas a decidirem."

    Totalmente de acordo com o post, se bem que continuo a ter muitas dúvidas sobre Jara. Não sei mesmo se tem qualidade suficiente para jogar no Benfica.
    Quanto a Gaitan e Salvio parece-me que já poucos têm dúvidas sobre o seu valor.
    Aimar e Saviola, como todos sabem, são do melhor que existe na liga portuguesa.

  2. Boas. A minha internet anda manhosa e ver os jogos fora de casa não vou… Por isso, SportTv, boa sorte, ehehehhe!
    Agora, sobre o jogo, do pouco que vi com qualidade, muito pouco, mas fui acompanhando pelo rádio, parece-me que a generalidade do post está muito assertiva e correcta, e realço apenas que no outro dia Saviola, creio, ou Aimar, um deles, disse de Cardozo, que curiosamente não marcou, que ele é especial pois geralmente marca o primeiro, para a equipa se libertar, o que é muito bom. Lá está, curiosamente ontem não marcou nenhum… De Salvio realço que, apesar de não ser tão bom como Ramires, fazendo, ou sendo mandado fazer, o mesmo que lhe era pedido a Ramires, que, ainda que com menos qualidade, poderá fazer bem o lugar e ser regular no que lhe é pedido na posição. É pena não se ver Carlos Martins no 11, mas só jogam mesmo 11, e com as suas características, como sabemos, Jesus lança-o tanto no lugar de um, como de outro, Salvio e Aimar, e até Gaitan, e por isso terá sempre minutos de jogo. Poderá estar aqui a retoma, ou foi só até ao Natal? A ver vamos, como diz o cego…

    Abraço

    Márcio Guerra, aliás, Bimbosfera e Boas Festas a todos!

    Bimbosfera.blogspot.com

  3. Desculpe, li muito bem.

    Se diz que o Jara é limitado tecnicamente e o equipara (em características) ao Salvio, está a dizer que o Salvio é limitado tecnicamente.

    Simples.

  4. Pb.

    Não me parece que o Salvio seja limitado tecnicamente, não tem a classe nem o corte do Gaitan mas tem uma técnica q.b associado a um belíssimo poder de explosão.

  5. JFC,

    mas, eu n disse em momento nenhum que o Salvio seja limitado tecnicamente.

    O Jara aproxima-se mais dele pq ambos sao mais "fisicos" q tecnicos ou intelectuais, ao contrario dos outros 3.

    Procurei nas etiquetas considerações à capacidade tecnica do Salvio feitas por mim, e só encontrei isto:

    Salvio é mais disponível fisicamente. Jogador aguerrido, assegura, porque é mais disponível, com muito maior qualidade os momentos defensivos do que Gaitán. Perde para o colega em criatividade, mas é também um jogador hábil.

  6. Ainda bem que são todos diferentes. As equipas fazem-se com jogadores diferentes, com características diferentes, inteligências diferentes, técnicas diferente, etc.

    O que é importante é que se completem. E é para isso que existem os treinadores, para colocar os jogadores a jogar harmoniosamente. Numa orquestra, os instrumentos e os músicos são todos diferentes. O que é importante é que toquem bem, com o mesmo espírito, com inspiração, alma e em harmonia. É para isso que lá está o maestro.

    O mesmo se passa com uma equipa da futebol ou outra equipa qualquer. Seja no desporto, seja numa empresa.

    Na minha opinião, têm todos capacidade para jogar no Benfica. E os mais novos com capacidades extraordinárias de crescimento. Assim sejam bem treinados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*