A linha de quatro médios ofensivos do Sporting, tão distantes do trinco e dos defesas.

white corner field line on artificial green grass of soccer field
Já havia sido referido em textos anteriores. Não parece que o actual sistema táctico (4x1x4x1) possa trazer muitos benefícios ao Sporting. Se ofensivamente a linha média mais avançada está demasiado próxima da meta, e sempre demasiado longe da bola (louve-se Elias, que foi sempre capaz de baixar para receber), defensivamente, a distância enorme que os separa dos cinco mais recuados, coloca em risco a equipa. Ainda para mais porque a pressão sobre o portador da bola, é demasiadas vezes inexistente. Não é minimamente difícil, para uma equipa que perceba as lacunas na ocupação do espaço do Sporting, através de um passe, deixar para trás meia equipa leonina e obrigar desde logo a que sejam os defesas do Sporting a terem de parar o ataque adversário.
Foi dessa percepção, que se resolveu fazer um pequeno estudo. Importa antes de mais, referir que o estudo tem validade zero. Depende de demasiados factores (desde características dos e do adversário, características dos próprios jogadores, dos árbitros, até às características do próprio jogo) para que possa ser válido. Em suma, mais que um estudo é somente uma pequena curiosidade, cujo resultado pode ou não estar relacionado com a percepção que se tem do jogar leonino.
A ideia foi confirmar que os defesas e o trinco do Sporting estão mais expostos que os de Benfica e FC Porto, pela contabilização do número de faltas.
Eis os dados obtidos após as quatro primeiras jornadas.
Faltas cometidas pelos defesas centrais do SL Benfica – 5
Faltas cometidas pelos defesas centrais do FC Porto – 6
Faltas cometidas pelos defesas centrais do Sporting – 14
Faltas cometidas pelos laterais do SL Benfica – 14
Faltas cometidas pelos laterais do FC Porto – 20
Faltas cometidas pelos laterais do Sporting – 16
Faltas cometidas pelo trinco do SL Benfica – 3
Faltas cometidas pelo trinco do FC Porto – 9
Faltas cometidas pelo trinco do Sporting – 12
Total de faltas cometidas pelos 5 mais recuados do SL Benfica – 22
Total de faltas cometidas pelos 5 mais recuados do FC Porto – 35
Total de faltas cometidas pelos 5 mais recuados do Sporting – 42
Curiosidades.
Nos quatro jogos do SL Benfica, Aimar esteve três vezes no top 3 dos jogadores com mais faltas do SL Benfica. No único jogo que não fez parte dos mais faltosos, jogou apenas 45 minutos (em Barcelos).Também Witsel fez parte do top 3 dos mais faltosos, nos dois jogos em que somou os noventa minutos. No SL Benfica, são regra geral, os jogadores do meio campo e do ataque (Jara, Cardozo e Saviola também fizeram parte do top 3 de mais faltosos ao longo das quatro jornadas) que mais faltas cometem.
No FC Porto, são por norma os laterais que mais faltas fazem. A forma como defensivamente a equipa de Vitor Pereira tem a preocupação de empurrar e encurralar os adversários no corredor lateral, está obviamente relacionada com o dado apurado. A seguir aos laterais, são os médios interiores que mais faltas cometem (Moutinho e Belluschi aparecem no top 3 dos mais faltosos ao longo dos jogos já disputados).
No Sporting, em Aveiro, foram Yannick, Matias e Ricky que somaram maior número de faltas. Nos restantes três jogos da Liga, o top três dos mais faltosos foi sempre composto pelo trinco, por um central e por um lateral.
Top 3 contra Olhanense:
1. Rinaudo
2. Evaldo
3. Polga
Top 3 contra Maritimo:
1. Evaldo
2. Carriço
3. André Santos
Top 3 contra Paços de Ferreira:
1. Rodriguez
2. Insua
3. Rinaudo
Os dados foram retirados do site do Jornal A Bola.
Reforçando. Os dados obtidos não são suficientes para tirar conclusões válidas. E nem como “estudo” se pode apelidar o que se apurou, pelos inúmeros factores de que dependem os dados apurados.
Não deixa, porém, de ser curioso que é na equipa em que há a percepção de que a defesa está demasiado só e desprotegida, pela ausência de proximidade dos centrocampistas, que deveriam funcionar como que tampão, impedindo o adversário de obrigar os defensores a terem de sair da posição para anular as jogadas, que mais faltas cometem os defensores. O dado mais curioso, contudo, é obtido pela comparação de faltas entre colegas da mesma equipa. Será por acaso que no Sporting os defesas cometem muito mais faltas que os restantes colegas de outros sectores? E será normal uma discrepância tão grande nas faltas cometidas pelos jogadores defensivos do eixo central. Vinte e oito do Sporting, contra quinze do FC Porto e oito do SL Benfica?
Se os dados obtidos fossem válidos, a conclusão só poderia ser uma. É incrivelmente mais fácil ser defesa central ou trinco no SL Benfica ou FC Porto, do que no Sporting, onde demasiadas vezes é necessário intervir. E se tal fizer sentido, o problema não estará no modelo que Domingos vai implementando?
P.S. – Há a enorme curiosidade para perceber como poderá a qualidade individual de Elias compensar o mau modelo (recorde que no Brasil era comparado a Ramires, pela disponibilidade que demonstrava para recuperar ou ganhar metros nas transições). Todavia, e mesmo que aqui e ali Elias, consiga de facto, elevar o Sporting para um patamar de segurança bem maior que aquele que vai demonstrando, não há muitas razões para estar optimista. E a qualidade individual que parece abundar como nunca nos últimos tempos…
Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3333 artigos
Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã" da PrimeBooks. Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*