O onze do Benfica, na segunda parte em Braga.

white corner field line on artificial green grass of soccer field
Mesmo sem Bruno César, Nolito, Gaitán e Saviola, organizado num 442 losango teria tudo para permitir um salto qualitativo no futebol encarnado.
Jogar com dois interiores ao redor de Javi Garcia, tornaria o SL Benfica de Jesus uma equipa muito mais dominadora, controladora e segura. Poderia até Jesus optar pelos dois tradicionais extremos, que desde que mantivesse a estrutura de três centrocampistas seria sempre uma equipa mais adulta.
As vantagens em adoptar um sistema táctico próximo do do FC Porto seriam mais que muitas. Para além dos benefícios colectivos previamente mencionados, também do ponto de vista individual se retiraria mais do potencial individual de alguns jogadores.
É indesmentível que o Benfica cresce quando Aimar baixa para receber. E parece inegável que Witsel, com aquela passada larga, e critério com e sem bola, teria tudo para ser um médio interior de excelência. Ora aparecendo em zonas de finalização, ora descendo rapidamente para a proximidade de Javi. Agora que se percebe que o Benfica tem em Rodrigo um avançado extraordinário na movimentações de ruptura, mas também capaz de acrescentar qualidade nos apoios frontais, não pode haver dúvidas sobre o potencial de crescimento do Benfica, com uma dinâmica diferente.
Por na sua dinâmica, não abdicar de dois jogadores a pressionar os centrais adversários logo desde a saída da bola, e de outros dois na proximidade dos laterais, Jesus não se mostra disponível para alterações de maior no seu meio campo. Da eficiência da primeira linha de pressão depende quase todo o jogo defensivo do SL Benfica. Depois de ultrapassados, sobrarão apenas seis jogadores de campo atrás da linha da bola. Não deixa, porém, de ser um facto que é também muito pela sua dinâmica que o Benfica obriga os adversários a saírem longo, num estilo de jogo que muito beneficia Luisão, Garay e Javi Garcia. Há, contudo, que manter a concentração ao longo de todos os minutos do jogo. É uma proposta arriscada a de Jesus. Com as opções individuais que tem ao seu dispor, não parece todavia, que precise de arriscar tanto para vencer confortavelmente e com segurança os jogos da Liga portuguesa.
Dados.
O SL Benfica na Liga Portuguesa em jogos disputados no Estádio da Luz, chegou ao intervalo sempre a vencer. Em todos esses jogos, acabou por consentir o primeiro golo da segunda parte, que permitiu sempre ao adversário voltar a entrar no jogo.
Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3746 artigos
Pedro Bouças - Licenciado em Educação Física e Desporto, Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, bem como participado em 2 edições da Liga dos Campeões em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã", e Co-autor do livro "O Efeito Lage", ambos da Editora PrimeBooks Analista de futebol no Canal 11 e no Jornal Record.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*