César Peixoto, o último dos românticos

Fantásticas algumas declarações de Peixoto, o jogador que decidiu trocar o SL Benfica por um clube de menor dimensão, porque queria ser mais feliz em campo, ontem na RTPI.
“Queria jogar no meio campo. Queria ter mais bola. Queria pensar mais o jogo.”
“Aprendi mais com Jesus do que com Mourinho, mas se calhar porque com Mourinho tinha vinte e poucos anos e não estava tão disponível para aprender
Curioso como a quase totalidade dos jogadores mais velhos (ontem Manuel José referiu também que só depois de terminar a carreira de jogador percebeu que afinal nada percebia do jogo) mesmo os que ainda estão em actividade recordam erros do passado. Geralmente associados a uma incompreensão sobre o jogo e a uma sobranceria própria da juventude, que sempre os levou a uma incapacidade para perceber que há quem lhes possa acrescentar algo em tempo útil.
E o recordar de um texto com quase 5 anos (3 de Setembro de 2009) aqui:
“Hugo Viana e César Peixoto. O meu fabuloso e underrated pé esquerdo.”

“Newcastle sign £8.5m Viana – ‘the new Figo'” (“The independent”.2002).

De over a underrated. De forma bastante simples, se sintetiza a carreira de Hugo Viana. Os permanentes rótulos, colocados pela imprensa, ainda que possam ter ajudado na sua vertente financeira, poderão ter-lhe limitado a carreira.


Bastante bom tecnicamente, e com excelente percepção sobre o que é o jogo, a Hugo Viana faltou, sempre, velocidade (não só na sua vertente mais pura. A passada. Como também na execução), para poder justificar a avolumada soma paga pelo Newcastle.


Contudo, mais bizarro que os 8.5 milhões de libras, pagos pela sua transferência, é o facto de, aos 26 anos, voltar para a Liga Sagres para representar o Sp. Braga. Pelas suas limitações, dificilmente seria titular num dos 3 maiores da Liga Sagres. Porém, seria, indiscutivelmente útil.


Aos 29 anos, César Peixoto volta a um dos grandes do futebol português.


Jogador pouco consensual, Peixoto, tal como Viana, tem na ausência de velocidade o seu principal handicap. Tal característica, e as permanentes lesões (e quão graves) diminuiram uma carreira que poderia ter sido bem mais notável (não esquecendo, ainda assim, o seu rico palmarés).


Bastante inteligente, e com um excelente pé esquerdo (impressiona a forma como entrega, sempre, a bola jogável), César é um jogador de classe. A objectividade do seu jogo, aliada aos excelentes recortes técnicos (a quantidade quase infindável de “cuecas” e “cabritos” aplicados na partida ante o Celtic, foram, desde logo, bons motivos para seguir o jogo) são imagem de marca.”

Criatividade, inteligência e qualidade técnica. Tanta cirurgia marcaram uma carreira que poderia e deveria ter sido bem diferente. Ainda que César tenha estado em todo o lado. E sendo como homem o jogador que é, provavavelmente não o trocaria por maior notoriedade individual.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3558 artigos
Pedro Bouças - Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã" da PrimeBooks. Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*