Sucessão – Hábito ou Adaptação? Dificuldade de um grande.

Para substituir Jesus, quem? Melhor pergunta é: para treinar o Benfica, quem?
O Benfica, como grande que é tem a dificuldade acrescida de a esmagadora maioria dos adversários o esperar no meio campo defensivo. De baixarem as linhas e jogarem muito próximos da área, fazendo uma enorme redução dos espaços nos últimos quarenta metros, e abrindo uma enorme distância entre a última linha e a baliza de quem os ataca. A concentração de jogadores no corredor central é maior, e indica o corredor lateral como solução para criar lances de ataque. Isso pressupõe um número maior de jogadores à frente da linha da bola, e um número muito pequeno de jogadores atrás. Há quem pense que Jesus foi uma escolha acertada para o Benfica pela qualidade de jogo que demonstrou, mas foi-o sobretudo por ser treinador predominantemente de organização ofensiva e transição defensiva, fosse em que clube fosse. E dentro disso, fazia o jogo que imaginava na sua cabeça. O próximo treinador do Benfica deverá ter o mesmo perfil – organização, transição.
Como é que um treinador que não joga de forma predominante em organização vai resolver o problema da redução dos espaços nos últimos quarenta metros? Vai atacar pelo corredor lateral, que é no fundo por onde o adversário quer ser atacado e é o caminho mais fácil de defender? Como é que atacando pelo corredor central se vai defender dos contra ataques perigosos que resultam de perdas de bola aí? Como é que um treinador que não tem saída de bola habitualmente vai ter? Como é que um treinador habituado a defender dentro do seu meio campo vai defender no meio campo do adversário? Como é que um treinador habituado a defender com muitos atrás vai resolver o problema de defender com muitos à frente? E admitindo que o tente fazer, como é que vai operacionalizar ideias que nunca tentou na prática?

Vai treinar a operacionalização num grande e adaptar-se a isso, ou deverá estar já habituado ao contexto que vai encontrar? Num grande como o Benfica onde a exigência é máxima não há tempo para o treinador treinar o treino e a maior parte das ideias. Por isso, com a pressão, ou se tem ou se falha!

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3232 artigos
Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã" da PrimeBooks. Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*