Primeira desilusão da época

É demasiado cedo para perceber o que virá. Não se sabe o foco que tem sido dado no processo de treino, tão pouco se a organização ofensiva e as fases ofensivas já tiveram dedo de Mourinho no treino. Todavia, foi deveras desapontante a performance do United na supertaça de Inglaterra.

Como no passado recente, total incapacidade para ligar fases ofensivas. Muita distância dos primeiros seis para os quatro mais adiantados e a bola sem chegar consecutivamente às costas de sectores adversários que não pelo corredor lateral.

Problemas evidentes logo na construção, onde utiliza demasiados jogadores e com posicionamentos pouco interessantes que impossibilitam logo de chegar às costas dos avançados adversários. Usa seis na primeira fase e não fazem o trabalho de três!

Quando com sucesso (poucas vezes, desde logo!) consegue chegar à frente com bola a entrar redonda nos quatro mais adiantados, pouquíssima envolvência ofensiva. Apenas lateral do lado da bola participa e vem sempre com considerável atraso. Fica a sensação de estar a ser preparada uma equipa que procure unicamente não se expor após a perda, e ofensivamente esperar as perdas adversárias para chegar às zonas de finalização. Com pouca gente e soretudo em transição.

Muito pouco aprazível o que se viu do United no primeiro jogo oficial da época.

livro

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3047 artigos

Criador do “Lateral Esquerdo”, tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto – Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino.

Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ).

Autor do livro “Construir uma Equipa Campeã” da PrimeBooks.

Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

7 Comentários

  1. Sim em parte concordo,poucos riscos,pouca creatividade colectiva,tudo by the books a espera que a qualidade individual decida(e decidiu)…quero acreditar que seja pela pre epoca atipica,china e pos euro…

  2. Muito fraco. Tinha alguma esperança num regresso de Mourinho a uma ideia de jogo mais ofensiva, mas para primeiro teste… péssimo. Temo que isto se replique ao longo da época.

  3. Acho que enquanto os principais elementos no inicio da organização ofensiva forem Carrick e Fellaini dificilmente isso será ultrapassado. Nem um nem outro são capazes de receber a bola e olhar para a frente para executar um passe entre linhas, e muito menos a sair em progressão.

  4. Não é preciso ver o jogo para se perceber que o nite não jogou um charuto. No resumo vi o manjerico a intervir em diversos lances, não há milagres.

  5. Ainda em entrevista ontem à Sportv referiu que jogadores importantes ainda têm apenas 4 unidades de treino com ele. É de facto demasiado cedo para ilações

  6. Como dizes no inicio do post, acho que ainda tem pouco tempo de treino para se tirar conclusões. Dai não considerar um desilusão, pelo menos por enquanto. Acho que o meio-campo não teve jogadores criativos, e mesmo o Lingard e o Martial não são jogadores de muitos envolvimentos com os colegas de ataque (aparte do cruzamento). Acho que com o Mkhitaryan, Pogba e Schneiderlin no 11 regularmente e após vários treinos, vamos poder ver o que o Mourinho realmente quer para o Man. United.

  7. O forte do Leicester são as transições em velocidade, sobretudo para o Vardy. Sabendo disto, o futebol chato e mais defensivo pode ter sido propositado, até pq a equipa do UTD n me pareceu mt fresca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*