Golo do FC Porto. Para além do óbvio. Onde começa o desequilíbrio?

O Futebol é nos dias de hoje um jogo muito rápido que exige uma concentração mental elevadíssima. Um segundo distraído, um mau posicionamento, um mau ajuste, e num clássico acabarás por pagar.

Um FC Porto de nível imenso em organização ofensiva. Como já havia estado ante o Arouca no Dragão. A procura pelo espaço nas costas dos médios do Benfica, sempre com critério e com a pausa e decisão de Óliver. Lá dentro do bloco, a qualidade de Corona.

Mas como se desarticulou o Benfica no golo? Como surgiu o desequilíbrio? Um metro para o lado de Cervi, num lance, num posicionamento que como tantos outros poderia não ter sido visto ou poderia não ter contado, desta vez a proporcionar ao FC Porto chegar ao golo.

A bola vai mudar de espaço (de fora para dentro) e o argentino que havia estado bem até ai, não acompanha o bascular da bola. Espaço garantido para a bola passar por entre médios. Corona com bola de frente para apenas quatro jogadores do Benfica atrás da linha da bola.

P.S. – Continuo a solicitar que adiram ao patreon. Estamos muito agradecidos aos que já o fizeram. Por um valor residual (não terá de ser mais de um dólar mês!) continuaremos a produzir conteúdos para que continuem por cá. Continuem a ajudar aqui:  Patreon. Muito simples e garantirá a existência do “Lateral Esquerdo” nos meses seguintes.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3043 artigos

Criador do “Lateral Esquerdo”, tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto – Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino.

Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ).

Autor do livro “Construir uma Equipa Campeã” da PrimeBooks.

Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

6 Comentários

  1. Tendo a bola entrado entre-linhas, como deveria ter reagido a equipa do benfica? A mim parece-me que houve uma grande passividade, deveria ter samaris ter previsto mais cedo que corona viria para dentro e ter vindo fechar o espaço interior? Deveria um elemento da linha defensiva ter saido mais cedo? Claro que a ver depois de já saber o decorrer do lance é muito fácil falar, mas pareceu-me logo que houve uma grande passividade da equipa do Benfica

  2. comentando a jogada a partir do ultimo passe: a “percepção”, do lateral (e do keeper), que o Jota não se ia meter no beco, fez metade do golo, a execução do remate parece feliz (aquela intensidade raramente se coaduna com aquela precisão(pontaria))

  3. Como reagia a tua linha defensiva no seguimento da recepção do Corona?
    O que achas que falhou além do desposicionamento óbvio do Lisandro após a contenção…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*