Transição ofensiva para ataque rápido nas botas de Diogo Jota

Há sempre decisões do treinador que aproximam ou afastam um pouco mais as probabilidades de se ser bem sucedido. Seja no modelo, seja nas opções específicas para cada posicionamento no modelo.

Teria o FC Porto chegado ao golo em transição ofensiva perante o Moreirense se a opção de Nuno relativamente ao jogador mais adiantado na bola parada defensiva fosse alguém que não Jota? Dificilmente. Porém, tal opção ainda que determinante é uma gotinha muito pequena no oceano que são as qualidades de Diogo Jota.

A velocidade a que conduz, com a qualidade a que o faz é impressionante se recordamos o pouco tempo de futebol sénior que tem nas pernas. Capacidade para interpretar cada lance e para tomar decisões em todos os momentos, a permitirem-lhe o melhor uso da sua velocidade e condução.

Jota é mais um jovem português a prometer uma carreira profícua. Se recordarmos que cresceu longe dos holofotes e da responsabilidade máxima, maior valor se deve dar ao que apresenta no imediato. Mais certeza teremos de que tudo o que precisa para lá chegar é continuar a receber o actual estímulo de representar um grande em Portugal.

P.S. – Mais de duas centenas os utilizadores registados na COMUNIDADE LATERAL ESQUERDO. Esperamos lá por vocês para continuar as discussões sobre este jogo maravilhoso. Versão melhorada e “chat” também para telemóvel, muito brevemente.

P.S. II – Agradecimento muito grande a todos os que já se juntaram a nós no Patreon. Para terem acesso a todos os conteúdos que por cá se produzem, é passar por lá. Alternativa no  lateralesquerdo.com@gmail.com.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3767 artigos
Pedro Bouças - Licenciado em Educação Física e Desporto, Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, bem como participado em 2 edições da Liga dos Campeões em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã", e Co-autor do livro "O Efeito Lage", ambos da Editora PrimeBooks Analista de futebol no Canal 11 e no Jornal Record.

7 Comentários

  1. ” Se recordarmos que cresceu longe dos holofotes e da responsabilidade máxima, maior valor se deve dar ao que apresenta no imediato. Mais certeza teremos de que tudo o que precisa para lá chegar é continuar a receber o actual estímulo de representar um grande em Portugal.”

    Caro Paolo Maldini

    Os meus sinceros parabens.

    Por outras palavras, cresceu afastado das selecções jovens, pois pouco brincou por lá e mencionas o estímulo de jogar num grande em contraponto às brincadeiras nas selecções.

    Falta-te só reconhecer que os jogadores desvalorizam-se nas selecções mas esse ainda deve ser um passo maior que a perna.

    • Pois amigo Superleão, é quase isso… não tivesse ele andado em quase todo o tipo de selecções nos últimos anos, desde sub 19 a sub 21, etc.

    • Caro NUno

      Segundos dados do transfermarkt o Diogo Jota brincou apenas 16 vezes nas selecções jovens, já por exemplo, o Rui Pedro que ainda é júnior já brincou em 35 jogos pelas selecções jovens.

      E por falar no Rui Pedro e já agora do André “nulo” Silva , parece que o FCPorto prepara-se para valorizar o Tiquinho Soares que esse não brinca mesmo nas selecções e está sempre disponível para a sua entidade patronal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*