Ristovski no laboratório de Jesus

O lateral proveniente da Macedónia que não tem tido muito tempo de jogo, é a prova de que é no trabalho semanal que se cresce dentro do modelo de jogo de uma equipa.

No lance que terminaria com o golo de Higuain, Ristovski sempre a reagir de forma excelente ao que se estava a passar, acabou por ser traído pela menor capacidade de Gelson para ler rápido defensivamente o jogo.

Desde o fechar o espaço, ao cumprir de distâncias óptimas e à reacção à possível bola nas costas, até ao subir rapidamente para matar adversários no fora de jogo, Ristovski provou estar dentro das ideias de jogo de Jorge Jesus. Ele que certamente chegou sem tal leitura da movimentação defensiva.

Sobre Paolo Maldini 3791 artigos
Pedro Bouças - Licenciado em Educação Física e Desporto, Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, bem como participado em 2 edições da Liga dos Campeões em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã", e Co-autor do livro "O Efeito Lage", ambos da Editora PrimeBooks Analista de futebol no Canal 11 e no Jornal Record.

16 Comentários

  1. Eu não vi o jogo, nem posso conhecer este artista (porque ele não tem jogado), mas o que trás de diferente em relação a outros que jogam ou jogaram no Sporting e noutros clubes por aí fora?

  2. Julgo que aqui se tenta realçar mais o facto de ser um jogador novo, que jogou pouca vezes, vindo de um nivel abaixo e que já apresenta comportamentos defensivos interessantes. Algo que só pode ter vindo do treino.

    Por falar em comportamentos defensivos: http://www.record.pt/multimedia/videos/detalhe/chelsea-produz-acao-defensiva-tipica-de-jogo-de-solteiros-contra-casados.html

    Sou só eu ou o lance não é nada mal defendido? David Luiz pressiona, fechando o meio, Azpi na cobertura. Julgo que falha Rudiger vindo para a mesma zona de David Luiz e permitindo que rode. E, claro, faltou ajuda no lado contrario a acompanhar o outro elemento da Roma

    • Sim ninguém acompanhou o Perroti, e vê-se no inicio que estava acompanhado. Mas (e eu não percebo nada disto, mas quero também saber a opinião do LE), parece-me que o David Luiz devia ter tido outra abordagem no final do lance. Inicialmente acho que faz bem a pressão, mas a partir do momento que o Azpi consegue fechar, obrigando Dzeco a ir para fora, e ficar na contenção, o David Luiz tem que ir dar cobertura ao Azpi atrás dele, especialmente porque já havia Rudiger a fechar o Dzeco também. Tem de ser o David, pois os outros não estão em posição de ir dar a cobertura. Havendo a cobertura, o David Luiz porderia sair rápido ao Perroti, embora o lance já estivesse meio condenado.

  3. Exibição irrepreensível do macedónio, do pouco que foi possível acompanhar até à data já tinha deixado boas indicações, mas o jogo de ontem veio baralhar e muito as contas de JJ para a posição de LD.
    Para além da boa movimentação defensiva, sempre em sintonia com Gelson e a dupla de centrais, mostrou também boa visão de jogo e qualidade de passe.
    Curioso para ver o que irá despoletar daqui…

      • Mas o Jesus tem princípios defensivos que mais ninguém usa? Ou não serão assim tão diferentes de outros que se usam? Quanto tempo é preciso para aprender o “segredo” dos princípios de Jesus?

        • Boas Miguel. Acho que não são exclusivos de Jesus longe disso, a questão é mais se na Macedónia se aplicarão estes princípios ou não. É que nos primeiros jogos da pré-época nem o Mathieu os cumpria (demasiada distância com o colega, demasiada referência individual) e esse vinha do Barcelona!

          • É normal e é por isso que a pré-época é importante. Depois, também há jogadores burros, que simplesmente não aprendem. Por isso tudo, e outras coisas, é que uns custam tostões e outros milhões.

            Mas o Jonathan fez uma boa época com o Marco, numa equipa mais fraca e menos custosa que a deste ano, e até por isso foi internacional A Argentino.
            O grande erro que se fez foi mandarem o miúdo 18 meses para a Argentina, em vez de o colocarem em algum sitio onde pudesse aprender mais. Agora está na estaca zero novamente…
            Mas é um jogador com potencial.

  4. Não, mas essa experiencia como central obviamente ajudou-o (indiferentemente dos princípios defensivos idealizados e trabalhados pelo treinador; porque a selecção macedónia até tem um excelente comportamento defensivo com o novo seleccionador; a título de exemplo, recomendo-te a visualização do último jogo disputado contra a Itália) a ter uma melhor e mais rápida leitura\reacção dos\aos múltiplos contextos que o jogo lhe oferece. Um deles é a percepção do momento em que deve subir (que muitos laterais não tem; por isso é que tantos controlos a profundidade falham pelos laterais) para criar a armadilha do fora-de-jogo, estando a coordenar o sector (a central) ou estando a ser coordenado por um central, quando joga a lateral direito. Há muitos laterais que não sabem e nunca saberão coordenar e sair no momento exacto quando estão a ser coordenados. Um deles é o Jonathan Silva, jogador que até hoje não sabe o que é defender em linha e o que é reduzir espaços…

    • O Jonathan fez um excelente jogo com a Juventus…

      Deve é ser complicado estar concentrado no jogo e ao mesmo tempo a tentar perceber o que o Jesus lhe está a berrar o jogo todo! :p

      • Miguel, creio que deve ser difícil é para o Jonathan ser profissional de futebol e cumprir o que o treinador lhe pede. Quando aos 25 anos, um lateral não sabe que a referência da marcação é sempre a zona onde está a bola, e não sabe posicionar-se em linha com uma defesa e com o 2º poste no momento em que sai do cruzamento, muito mal estamos. Muito mal, mesmo. Ao longo de anos tive, no rugby, toda uma estirpe de artistas que se plantavam na linha lateral a orientar-me (“pontapeia”; “bota sal”; “alivia Pacheco”; “ataca o espaço”) e não foi isso que alguma vez me desconcentrei ou decidi da forma que eles criam que eu decidisse. E isso também derivou de um aspecto muito particular da posição: no Rugby, o 15, jogador que joga mais recuado no terreno, nos chamados “3 de trás”, é um jogador que para além dos apurados atributos técnicos que tem que possuir, um jogador de uma importância táctica enorme para qualquer treinador visto que é um jogador que tem obrigatoriamente que comandar a linha defensiva que se encontra à sua frente, identificando os furos existentes nessa mesma linha, as zonas onde o adversário coloca mais e menos unidades, e até os processos de circulação mais utilizados pelo adversário para melhor defender ou melhor exemplificar aos colegas o que é que se deve e como se deve defender.

        • João, tu sabes o que te ensinam.

          O Jonathan não pode ser mau ou não tinha feito uma boa época com o Marco que até o levou a ser internacional A Argentino.
          O erro foi recambiarem o miúdo para a Argentina.
          Agora está na estaca zero novamente e eu discordo do que têm dito dele. Teve erros, como outros tiveram. Faz parte.
          Para mim é um puto com potencial e está muito bem como suplente do Coentrão. Espero que melhore e que para o ano possa ser titular, já que o Coentrão vai embora.

          • E tem 23 anos quase acabados de fazer – e não 25.

            Aos 25 será titular da Argentina e aos 26 será vendido por 15/20M€… 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*