Irreal – A pausa, a decisão, e o gesto técnico

Não há mais forma de adjectivar Leo Messi.

O melhor jogador da história do jogo porque perfeito em todas as zonas do campo, em todas as decisões.

A hora de pausar, a hora de acelerar, tudo enquadrado por um génio cerebral, que ainda executa como nunca ninguém antes.

Não me atreveria a dar o favoritismo a uma equipa que jogue contra Messi

Pep Guardiola

Para terem acesso a todos os conteúdos que por cá se produzem, e darem uma pequena ajuda tornem-se patronos deste projecto. Também com acesso à drive do Lateral Esquerdo, onde partilhamos “influências”. Recordamos que 1 euro mês será desde logo uma grande ajuda! Alternativa no lateralesquerdo.com@gmail.com.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3385 artigos
Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã" da PrimeBooks. Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

16 Comentários

  1. Já é absurdo tecer comparação de melhor do mundo ou arredores a jogadores com diferentes funções/posições, então estabelecer comparações de “melhor de sempre”, quando as condições de jogo são radicalmente diferentes é próprio de uma mentalidade religiosa e não de análise serena. No máximo pode considerar-se um determinado jogador como o melhor da sua geração, mas leva aos mesmo becos sem saída, como se compara um guarda-redes a um avançado? Um lateral a um central? Enfim, o futebol dominador pelo fervor religioso ou pelas tentativa de querer sempre estabelecer rankings, tops, fomentando o futebol como desporto de indivíduos quando é na essência, um desporto colectivo. Enfim, o debate estéril que só interessa às ronaldetes e messinetes.

    • Não confundas a forma com o conteúdo. Por essa ordem de ideias não se podia comparar o Shakespeare com os poetas modernos. O Shakespeare que até mudou a poesia dando primazia ao conteúdo sobre a forma, ao contrário, por exemplo, do Camões.

  2. https://www.youtube.com/watch?v=nKZLNcMI3C0
    Se tu o dizes, quem é o Maradona para discordar.
    E isto não é nada. Quem viu, como eu, dezenas de jogos dele no campeonato italiano, sabe bem que isto é uma migalha no seu reportório. Marcava um tipo de livres na lateral em que a bola pairava sobre toda a defesa contraria e ia sempre encontrar o lateral direito, que era o ultimo e o unico que lá conseguia chegar. E fazia-o também em jogo, sem tempo e espaço para pensar.
    Essa de em todos os momentos e zonas do campo tambem me faz rir. O Maradona até à frente da área ia buscar as bolas, ao contrario do Messi, que muitas vezes fica à espera dela encostado à linha.

  3. A questão é que é tão flagrante que até a central Messi seria o melhor. Maradona nunca se envolveu tanto com o espaço-tempo, ocupação do espaço pelos colegas e orientação dos adversários. É tão complexo que nem sentados a ver o jogo de cima íamos ver o jogo como o entende Messi.

    • Boa piada! Repetem estes chavões que não têm correspondencia com a realidade, usam umas palavras que parece que foram inventadas ha meia-duzia de anos e pronto, está feito o argumento de engana-tolos.
      Voltamos à mesma tanga que o futebol moderno é mais isto e mais aquilo. Não te deves lembrar do Mundial de 94. Dá-me a ideia que muita gente começou a ver futebol com o Guardiola e o Messi. Tiram-lhes o Guardiola e já não têm nada. Que tu não entedesses isso antes é uma coisa, que não exista desde o ínicio é outra.
      Como diziam os índios, é pura teoria, ou seja, zero.

        • Mais uma mão cheia de nada… Brincadeiras com as palavras. Mas vamos la falar de futebol porque os tolos têm de existir, senão teríamos que sê-los nós.
          Antigamente as equipas eram mais equilibradas e, por isso, o jogo jogava-se mais no campo inteiro. Não só por isso mas tambem.
          Quanto às estratégias e tacticas que foram inventando e treinando, qual seria a dificuldade do Maradona fazer o que os treinadores lhe poderiam pedir? Se até os tolos entendem…

          • Acho que todo o trabalho do Lateral Esquerdo tem sido mostrar como as equipas são agora, nos nossos tempos, muitos mais equilibradas do que alguma vez foram.

  4. Oh Nobody se tens tanta razão assim e queres uma bicicleta estás aqui a fazer o quê? A chatear as pessoas? Tens a tua opinião, que toda a gente já percebeu qual é, tudo bem, e queres que todos concordemos contigo? Mas porquê? Que raio… Sentes-te mal sozinho e precisas de companhia? Há por aí soluções mais porreiras do que o LE. Sabes que se calhar também vi isso tudo do Maradona e não concordo contigo. Pronto. Messi parece o Maradona ao quadrado, numa época claramente mais exigente em termos de preparação, número de jogos e ocupação de espaços. É a vida.

    • Ui, que sensíveis que andamos! Pensei que era uma conversa de homens. Eu não insultei ninguem, acho eu. Só disse que os argumentos, se isto era algum tipo de argumento, eram fraquinhos. Flagrante? o que é isso? Flagrante em quê? Flagrante que não admite discussão? Cadeirinhas a ver o jogo de cima? temos 10 anos? Messi a central, quando é raro vê-lo defender? que é isto?
      Equipas mais equilibradas? Quando há meia-duzia de equipas que compram tudo o que mexe? Quando já não há limites de estrangeiros? Quando são sempre as mesmas equipas a chegar aos quartos e a ganhar os campeonatos dos respectivos países? Quando os mundiais e europeus são uma desgraça, em que há uma ou duas equipas de jeito? Por amor de deus!
      Que os treinadores se tenham adaptado em função dessa desigualdade até compreendo, fechando as equipas tacticamente e tal. Mas querem comparar o talento individual que havia antigamente com o que há hoje? Compara lá o Iniesta a um Haji. E o Maradona a jogar neste Barcelona?
      E depois ainda há o que me parece uma tendencia de desvalorizar o que realmente (na minha opinião, para quem quiser entender) conta no futebol, que são as situaçoes de jogo e como resolvê-las, em detrimento de um um qualquer entendimento do jogo e uma qualquer organização. Claro que entender o jogo é importante mas a criatividade é o que faz a diferença. Essencial ao jogo são 22 jogadores, uma bola e um campo com balizas. O resto vem por adição.
      E falar de futebol, nada? O que é que eu interesso para o assunto? Se estou sozinho ou acompanhado interessa-te? A mim tu não me interessas nada.
      O Maradona ao quadrado? o que é isso? E se eu disser que o Maradona é o Messi elevado a 10, ganho a discussão?
      Numa época mais exigente (que para mim é muitíssimo discutível, uma vez que as condiçoes são melhores, os ordenados maiores, as bolas mais leves, os campos melhores, etc, o Maradona adaptava-se à época, como fazem os homens normalmente ao longo das eras. Vai ver os videos que aí deixei e vais ver quantas vezes a bola não é devolvida ao Maradona como é ao Messi. E se souberes, vais ver mais coisas.
      Ate me apetecia continuar a falar de futebol, mas com este tipo de interveninetes, já me fico por aqui. No entanto, para que não pensem (quem está a lêr e os autores) que sou um troll qualquer, lanço-vos um desafio: Arranjem lá 20 jogadores. Eu levo um para ter com quem jogar. Podem levar quem quiserem: Jogadores profissionais, o Figo, quem quiserem. Se eu for o melhor dão-me 1000 euros. Se houver alguem melhor que eu, dou-vos eu. O juri podem ser os autores aqui do LE. E olha que já tenho 41 anos e fumo bastante. Dêem-me um mês para arranjar alguem com quem jogar, fazer 3 jogos, que já não jogo ha 1 ano ou mais e não preciso de mais.
      Já agora, diz lá onde viste as dezenas de jogos do Maradona no campeonato Italiano. Eu digo-te depois onde os vi eu. Na altura não passavam jogos na televisão portuguesa.
      Faço aqui uma ressalva para os autores do blog, que ,admito, talvez já devesse ter feito. Eu, quando concordo, não comento. Acontece na maioria das vezes. Comento, normalmente, quando não concordo. Do que leio, claro, porque não leio tudo. às vezes tambem não me apetece muito comentar.
      Eu não tenho pretençôes a estar sempre certo. bem sei que nem sempre estou e muitas vezes, passado algum tempo, até vejo que estou errado. Mas contrariem se quiserem que eu não fico ofendidinho com ninguém.

    • E já agora, para não ficares sem resposta, ó Pélé, tu fazes parte do blog ou dizeres-me para ficar afastado do blog é só falta de educação?
      Não tenho nada contra a censura. Olha eu, um Nobody!… Até prefiro que me censurem que tenha de ser eu a auto-censurar-me. Não sou é um lambe-cús.
      Tás a ver? tambei sei ser deselegante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*