O Marselha de Rudi Garcia

O SC Braga enfrenta hoje o Marselha de Rudi Garcia. A equipa francesa tem apresentado um modelo de jogo bem definido e com algumas particularidades interessantes.

O treinador francês tem apresentado um 4-2-3-1 onde se destaca a mobilidade na linha média. Desde o processo de construção que a equipa apresenta dinâmicas interessantes. Não forçam saída sobre pressão mas quando têm espaço, apresentam soluções para entregar o jogo aos mais criativos. As trocas verticais entre os médios centro e os médios da linha ofensiva acontecem com alguma frequência. No entanto, é em zonas mais adiantadas que se estabelecem relações mais perigosas. A forma como a equipa coordena os ataques à profundidade com movimentos de apoio, dificulta imenso o trabalho de qualquer linha defensiva.

Thauvin, surge nesta fase da época em excelente forma. Ao seu lado, surge um jovem de enorme valor, Sanson e o já experiente, Payet. A este trio fantástico, junta-se um dos mais inteligentes avançados europeus: Valère Germain. A forma como estes quatro jogadores se relacionam é fantástica. Destaque para a forma sublime como se move Germain e ainda para a sobreposição de jogadores em linhas verticais (uma das armas mais poderosas deste Marselha).

Bruno Fidalgo
Sobre Bruno Fidalgo 64 artigos
Licenciado em Ciências do Desporto. Criador e autor do blog Código Futebolístico. À função de treinador tem aliado alguns trabalhos como observador.

3 Comentários

  1. É uma equipa com recursos ofensivos muito interessantes contudo usa e abusa dos passes longos ao em vez de usar uma construção mais apoiada. Acho que equipa iria beneficiar baixando o Samson e o Germain deixando Ocampos entre Payet e Thauvin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*