Endiabrado Gelson em Tondela

Não haverão muitos por toda a Europa com a capacidade de drible do prodígio do Sporting. É verdade que ainda procura melhorar a sua definição final no último terço, mas com a certeza de que quando acontecer saltará imediatamente para outra realidade.

Os últimos jogos têm trazido um Sporting menos criativo, menos capaz de criar, e os ataques mais prometedores têm quase todos em comum a bola passar pelas botas do português.

Em Tondela, mas um sem número de acções à procura de um bem comum. No drible, no cruzamento e no passe.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3420 artigos
Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã" da PrimeBooks. Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

7 Comentários

  1. Mais um saído da fábrica de extremos, porém, continua atrás de Simão Sabrosa, Quaresma, Nani, Bruma. Á frente de Carlos Mané e Porfírio… ligeiramente.

  2. Qual é a causa para o Sporting criar tão pouco? Sendo que contra o Tondela, até estavam em campo William, BF, Gelson e Montero? Parece-me que o treinador “amarra” demasiado a equipa às suas ideias e que de ano para ano o Sporting torna-se mais previsivel ofensivamente porque já todos os adversários conhecem exatamente o que é o processo ofensivo do Sporting. Não seria altura de se re-inventar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*