Ingrato – Mobilidade para desmontar – Rio Ave x Desportivo das Aves

Em Vila do Conde, um resultado ingrato para a equipa da casa.

Às vezes estas equipas são parabenizadas com golos, felizmente hoje não aconteceu, seria uma injustiça tremenda quem não quer jogar ser parabenizado. Mas, é o nosso futebol, é aquilo que temos, é a realidade, temos de viver com ela.
Não saio aborrecido com a postura do adversário, há muitas formas de jogar! Tenho muito respeito pelo Aves, pelo Zé e por todos os adversários

Miguel Cardoso

Oito pontos em cinco jogos que envolveram saídas a Vila do Conde, Braga e Restelo, e recepções ao Marítimo e Boavista. Do último lugar, o Desportivo das Aves chegou quase a meio da tabela com a entrada de José Mota.

O jogo inaugural em Braga serviu de mote para o que se seguiria. Um método defensivo que caiu em desuso, mas que por isso mesmo provoca um desconforto nos adversários, já não habituados a ter de resolver problemas como o enquadramento com oposição atrás.

Há várias formas de desmontar com aparente tranquilidade quem marca em quase todo o lado homem ao homem. E a mobilidade é naturalmente a que mais danos poderá causar

 

A grande questão na Liga portuguesa, e que tem trazido dificuldades aos adversários da equipa de José Mota, tem sobretudo a ver com hábitos que se perderam ou não se trabalharam para enfrentar quem surja no campo assim, e muito a ver também com a parca qualidade técnica de tantos defensores e médios na Liga portuguesa, que continua a encontrar no perfil unicamente físico um factor de escolha dos seus jogadores mais recuados. Assim, naturalmente que a pressão constante pelas costas ainda aumenta mais o desconforto.

O Rio Ave de Miguel Cardoso tem na sua dinâmica colectiva e nas suas individualidades mais do que competências para desmontar o Desportivo das Aves, e merecia tê-lo feito. Apenas por acaso tal não se verificou.

Não se negue, porém, o desconforto que equipas de nível mais baixo têm sentido e sentirão com o jogo do “antigamente” do Desportivo das Aves.

Não peçam portanto a José Mota para assumir um projecto que valorize o jogo e o jogador. Mas, não neguem também que a subida na classificação do Desportivo tem o seu dedo.

Já sobre Miguel Cardoso, e depois de três derrotas bastante pesadas, ver a sua equipa entrar em campo e manter a identidade, e aquela identidade que tantas vezes provoca desconforto naqueles que só querem sobreviver, diz bastante também da sua capacidade de liderança. É um treinador em constante aprendizagem, a caminho de um projecto bastante maior…

 

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3767 artigos
Pedro Bouças - Licenciado em Educação Física e Desporto, Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, bem como participado em 2 edições da Liga dos Campeões em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã", e Co-autor do livro "O Efeito Lage", ambos da Editora PrimeBooks Analista de futebol no Canal 11 e no Jornal Record.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*