Guia para comentares o Mundial – As possíveis surpresas

Peru

Treinador: Ricardo Gareca (Argentino)

O sistema pode até sofrer alterações, mas o estilo é inegociável. A dinâmica do modelo, transforma o 4x4x2 no momento de Organização Defensiva, num 4x2x3x1, pelos movimentos de apoio de Cueva, o médio ofensivo do São Paulo que somente se comporta como avançado quando sai para defender mais próximo de Guerrero.

A equipa do argentino Gareca procura sempre jogar de pé para pé, e para tal envolve sempre seis jogadores mais próximos no meio campo defensivo na sua construção baixa sob pressão, enquanto guarda os alas (Carrillo e Edison Flores) e os dois mais adiantados do corredor central (Guerrera e Cueva) nas costas da linha média adversária, esperando que a bola chegue ao espaço entre sectores, para poderem de forma conjunta receber e enquadrar para então acelerar o ataque.

O Peru é uma das equipas com mais interesse de seguir naquilo que pretende fazer, isto é, a chegada ao último terço explorando os espaços mais prometedores. Embora individualmente não tenha como competir com as boas selecções da prova.

A parca qualidade individual é causadora de perdas, mas tem regra geral a transição defensiva na perda no seu meio campo bem acautelada porque nunca projecta ofensivamente os laterais na primeira fase, e estes juntam de forma rápida aos centrais logo após a perda. Já na perda nos espaços mais ofensivos, demonstra maiores dificuldades, quer no centro do jogo, quer na forma como demora a reorganizar-se, pela pouca disponibilidade dos seus alas para o jogo sem bola.

Em organização defensiva percebem-se os grandes princípios, mas falta trabalho de pormenor. É fácil entrar pelas linhas do Peru, embora estas em largura sejam compactas, e no primeiro terço, no controlo de cruzamentos, arrisca demasiado ao colocar central em cobertura, no corredor lateral, desguarnecendo a protecção da baliza. No meio campo ofensivo, tem timings definidos para pressionar, embora falte agressividade para impedir o sucesso das saídas de equipas mais apetrechadas.

Figura:

André Carrillo – O extremo direito com uma forte história ligada a Portugal, é um dos nomes mais sonantes da selecção do Peru. Velocidade de passada e de execução, capacidade de drible muito elevada, embora à medida que cresce fisicamente tenha vindo a perder a agilidade de outrora, e muito critério que lhe permite perceber que o jogo não vive só de acelerações, tornam Carrillo não apenas um desequilibrador, mas também mais um jogador capaz de definir com critério no último terço. É o tipo de extremo que não coloca uma bola na área por colocar, porque assim pensam que deve ser todos os que assistem aos jogos, mas antes coloca sempre ideias nas suas decisões.

Se o Peru é candidato a surpresa, muito também contribui para isso Carrillo.

Candidato a Revelação:

Renato Tapia – O médio do Feyenoord chega ao Mundial aos 22 anos, e destaca-se sobretudo pelo acerto das suas acções em posse. Pouco vistoso, e mais preocupado com o equilíbrio defensivo das suas equipas, Tapia é a pedra fundamental do jogo do Peru, uma das selecções que estarão na Rússia à procura de um jogo mais aprazível, mais capaz de se mostrar com bola. Fundamental, porque deverá ser o médio mais recuado do Peru, que não sente desconforto com bola e que sabe sair da pressão em condução para ligar o jogo mais à frente. Não é comum vê-lo perder a posse, e isso torna-o um dos mais interessantes da sua selecção.

 

 

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3382 artigos
Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã" da PrimeBooks. Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*