O regresso de Nani e a comparação com Salvio

FUTEBOL - Nani no Benfica sporting referente a 3 jornada da liga NOS realizado no estadio da Luz em Lisboa Sabado 25 de agosto de 2018. (ANDRE ALVES/ASF)

O extremo regressou ao Sporting, e ainda que não tenha a capacidade de aceleração de outrora, o que lhe retira alguma capacidade de desequilíbrio, continua a ter um rendimento elevadíssimo, porque alia à sua qualidade técnica uma óptima percepção do jogo e de que decisões tomar em cada instante.

Mesmo que a notoriedade surja somente a espaços, ao contrário de outros dias, mesmo nas acções mais simples Nani aproxima o Sporting da baliza adversária.

A procura do melhor caminho, dos melhores espaços para sair após a recuperação, ou para penetrar quando o adversário está organizado, bem como a forma como acelera e sobretudo pausa o jogo quando tal se impõe tornam-o, mesmo a caminho dos trinta e dois anos, um dos melhores jogadores da Liga NOS.

Pensar, procurar os melhores espaços, simplificar para os colegas. Eis Nani, um craque que não dá uma bola por dar, e tão pouco se intimida com a pressão para fazer mais básico e sem ideias, que o público dos relvados portugueses sempre exerce:

 

A diferença para Salvio é a diferença dos inteligentes para os agitadores. Enquanto Nani trabalha quase todas as bolas para aproximar a equipa do golo, Salvio raramente o consegue fazer excepto somente a espaços largos, quando não está bem sob todos os primas (físico / confiança). Aí, o agitador torna-se também capaz de definir pelos seus próprios caminhos.

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3404 artigos
Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã" da PrimeBooks. Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

6 Comentários

  1. Já na anterior passagem pelo Sporting Nani “sofreu” do mesmo. Parar para pensar o jogo em vez de meter bola na frente só porque sim e assobios e “Passa a bola!” da bancada.
    Neste Sporting de Peseiro, a equipa ganharia muito mais com Nani a jogar no meio no apoio ao PL ou ao lado do médio defensivo deixando as alas para Raphinha e Mat…Jovane e se calhar até se jogava futebol em Alvalade!

    P.S.
    Nada contra Jovane, apenas pareceu-me má gestão do capital humano que Peseiro tem à disposição em recambiar Matheus

  2. Detalhe delicioso o “pára para ouvir a bancada”.

    O homem é um tratado, conhece tudo do jogo e tem qualidade de sobra para executar. É um prazer tê-lo por cá.

  3. Nani, estando fisicamente bem (e isso só se consegue com utilização regular – que não ocorreu a época passada) é um brilhante jogador. E como eu gosto de dizer nestes casos: está a envelhecer bem. O miúdo para quem tudo eram 1×1 infinitos, porque as skils que vêm do bairro te levam pra aí, está agora o rei da pausa, da visão, do jogo!

    Nota para o jogo de Tiago Silva. Nunca os médios do Sporting perceberam como o parar, nem que era nele que residia toda a saída do Feirense!

  4. Impressionante a facilidade com que a tribuna de Alvalade o assobia à mínima pausa.. falta de Cultura futebolística de outrora..

  5. Nao entendo os elogios ao Nani e estou de acordo com a bancada do Sporting que na sua posiçao alta deve sentir mais o jogo que o proprio Nani…

    Nos dois primeiros lances e em mais um lance onde o Nani està na asa direita, as decisoes sao pessimas porque joga sempre interior sem dar velocidade ao jogo e nao vê o melhor espaço para progredir do seu lateral. No primeiro lance seria um cruzamento muito perigoso, e no tal lance da direita seria o lateral dentro da grande area com muito espaço.
    Nas equipas de posse como o City ou o Chelsea/Napoles de Sarri, o modelo é composto por três interiores que pausam o jogo, e consoante os espaços que se abrem ou fecham_ no meio ou nas alas_, aproveitam sempre as variaçoes em velocidade dos alas. ( Sané, Sterling, Pedro, Insigne, Hazard, Callejon…)

    Nos modelos com dois interiores ( o 4/4/2),os laterais é que dao a velocidade ao jogo mas nestes lances o Nani nunca aproveita os seus laterais e nunca dà velocidade ao jogo.

    Neste modelo do Sporting que nao vi jogar mas pelos lances parece jogar em 4/2/3/1, o Bruno Fernandes deve andar perdido por causo do Nani a jogar sempre interior em vez de desmarcar-se para abrir espaços….

    Por isso, numa ala, prefiro o Salvio ao Nani sem duvidas nenhumas!!!!

    Como jà dito num comentario, o Nani seria muito melhor a segundo ponta de lança ou atràs do PL. Ou entao, aproveita as suas pausas para jogar com os laterais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*