Como Pep, o estratega enganou Sarri

“Tem forte capacidade de adaptação [Pep Guardiola]. Para mim, é por isso que está acima de todos os outros: tem uma identidade bem vincada e ao mesmo tempo é altamente estratégico.”  

Pedro Bouças in “O futebol para lá do resultado”, artigo do Desporto do Sapo

No Etihad, mais uma lição de um dos melhores treinadores de sempre e de uma das melhores equipas da Europa! Por nunca jogar da mesma forma, cada jogo de Pep é uma lição. Há sempre nuances diferentes em função do adversário que tornam a sua equipa imprevisível. Na recepção ao Chelsea de Sarri, que não abdica de manter a sua forma de construir e de pressionar a construção adversária, Guardiola voltou a demonstrar a importância do lado estratégico do jogo para aproximar a sua equipa da vitória. Não é só o seu modelo encantador, mas também a sua capacidade estratégica que o tornam num dos melhores de sempre.

“Se tu parares Jorginho, vais criar-lhes dificuldades na construção. E se reforçares a pressão no lado do David Luíz e do Marcos Alonso, deixando o lado direito mais livre, maiores serão as suas dificuldades.”
José Mourinho

Há uns tempos atrás, em comentários para um jogo entre Arsenal e Chelsea, Mourinho afirmou que para criar dificuldades ao Chelsea seria preciso condicionar Jorginho e ainda, bloquear a ligação pelo corredor esquerdo na construção.

Pensando também nisso, o Manchester City preparou um pressing extremamente bem articulado para condicionar a construção do Chelsea de Sarri que nunca foi capaz de alterar a sua forma de construir. Enquanto que, De Bruyne saltava na pressão a David Luíz, Gundogan fechava a entrada da bola em Jorginho e Sterling aparecer bem dentro no momento defensivo para orientar a construção adversária para o corredor direito. A consequência disto foram os roubos sucessivos do City na sua construção, mesmo que, a espaços, os “blues” tivessem demonstrado qualidade em ataque posicional.

Para enganar o italiano, o campeão inglês baixou Gundogan na construção para o lado de Fernandinho com o objectivo de atrair Kante e abrir espaços nas suas costas para Aguero receber entre-linhas.

O segundo golo do Manchester City iria chegar após uma jogada soberba construída desde trás que culminou num golo brilhante de Aguero, mas que demonstrou a forma como Pep enganou Sarri no seu momento ofensivo! À já habitual qualidade excepcional do City em ataque posicional juntou-se o lado estratégico contra um Chelsea incapaz de controlar a entrada da bola nas costas dos seus médios.

Nos dias de hoje, associa-se com frequência o termo “estratégia” ao momento defensivo, mas nada é mais errado do que isto! O termo estratégia engloba todos os momentos do jogo, sejam eles defensivos, ofensivos e até bolas paradas. Ouvir Pep falar de cada jogo vale sempre pelas lições de um dos maiores estrategas do jogo, que prepara os seus ao detalhe para cada adversário…

Sobre Pirlo 36 artigos
Apaixonado pelo jogo e pela análise. É o pormenor que me move na procura do conhecimento. Da análise ao jogo, passando pelo treino, o Futebol é a minha grande paixão.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*