Tudo controlado

Um Benfica pouco exuberante, mas sempre senhor do seu destino.

O Estádio da Luz presenciou na noite de ontem
This content is only available to subscribers. Please contact us at lateralesquerdo.com@gmail.com for details or visit our Patreon page


Para terem acesso a todos os conteúdos que por cá se produzem, e darem uma pequena ajuda tornem-se patronos deste projecto. Recordamos que 1 euro mês será desde logo uma grande ajuda!

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3500 artigos
Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã" da PrimeBooks. Analista de futebol na TV e no Jornal Record.

8 Comentários

  1. Não li o texto mas não concordo com o título, foi um jogo muito fraco, especialmente com bola e de certa forma isto já é um grande descontrolo e um baita desconforto, sobretudo. Não me recordo de uma decisão que aproximasse a equipa do golo, execuções patéticas durante 90 minutos, todos os da frente a quererem aparecer na estatística, um Rafa cada vez mais Salvio (será a burrice contagiosa?), chutões só porque sim e para dar “segurança” e tal e essas coisas todas. É que não me parece que o Benfica vá encontrar alguma equipa tão aberta, que conceda tantos espaços, quanto estes toinos do Gala. Quando os melhores do Benfica são o Ferro e o Tino acho que está tudo dito, não pela sua valia, que é grande, mas pelo que os outros não fizeram. O treinador que me desculpe mas sabe muito bem que o que vimos ontem em campo não é o Benfica. Todos gostamos de ganhar mas gostamos ainda mais de ver coisas com qualidade.

    • Comentário algo disparatado e fora da realidade. Vi um Benfica a controlar o ritmo de jogo, a levar o jogo com um ritmo que lhe favorecia tendo em conta os jogos proximos e vi um volume de jogo da parte do Benfica que podia ter ganho por mais de 2 golos. Apenas foi muito perdulario na finalização. O Cervi logo nos primeiros minutos podia ter feito o 1-0, o Pizzi remata sozinho para fora, o Felix podia e devia ter encostado para golo um canto ao segundo posto, o Pizzi marcou quase no fim e foi anulado por uma suposta mão. O Galatazaray até foi muito mais perigoso na Turquia do que ontem que estavam mais preocupados em não serem goleados. Não há nenhuma equipa do mundo que esmague todos os adversários que lhe aparecem pela frente, nem o City de Guardiola faz isso. Por isso pensar um bocadinho antes de comentar não faz mal a ninguém.

      • É a sua opinião, que respeito (sem adjectivos), mas não foi este o jogo que eu vi. Todas as jogadas que refere foram executadas de forma patética. E as jogadas perigosas não foram mais nenhumas – muito por causa da falta de qualidade e da azelhice pura de muitos jogadores do Benfica. Ontem até o Félix falhou recepções, passes, tudo e mais alguma coisa. Passe bem.

        • estou farto de te dizer… o nível não é alto… e o Benfica por muito bom que seja ou ainda venha a ser colectivamente, acabará por pagar porque tem um avançado que atira as bolas lá para o molho há toa… nem tem um pingo de inteligência nem capacidade para definir

  2. Nao gostei nada do jogo. Lage demasiado preocupado em controlar, demasiado focado no adversario, adversario esse que e fragil e que ja tinha demonstrado fragilidades defensivas, tal como o Fenerbahce, no jogo da primeira mao. Ontem, mais uma vez, deram muito espaco nas costas dos medios, foram varias as vezes em que o Benfica saiu com 3/4 jogadores de frente para os defesas turcos em velocidade, mas faltou ter classe e clarividencia para fazer jogar nesse espaco, para resolver ai os lances ofensivos com qualidade. Demasiadas decisoes estapafurdias, adornos desnecessarios e precipitacao. Cervi, por exemplo, que e um jogador cuja maior qualidade ofensiva e correr muito (redutor, mas verdade), teve pelo menos duas ocasioes em situacao previligiada, com colegas ao lado, muito espaco e defesas de frente e a recuar, e o que e que ele faz quando tem espaco para correr? Passa a bola o mais rapido que consegue como se ela mordesse… Nessas duas ocasioes, bastavam dois 3 toques mais na bola e so depois passar e tudo seria diferente, mas quando um jogador que so sabe correr, so pensa em livrar-se da bola tendo espaco para correr… fica dificil. O Benfica esteve bem nesse capitulo ultimamente, embora mal neste jogo, por isso espera-se que tenha sido coisa apenas “um jogo” em que tanto Felix como Pizzi nao estiveram inspirados. A defender a equipa esteve bem, creio que muito porque Gedson e Tino dao muita forca e raramente deixam grande espaco para ser explorada ja que recuperam com facilidade, os centrais tambem cumpriram bem, mas os laterais? Almeida e claramente insuficiente quando o nivel aumenta um pouco e Grimaldo nao sabe defender, ontem nem era preciso desviar a bola dele, ele saia da frente sozinho. O principal problema desta equipa continua a ser sair a jogar, dai surgem muitos erros e muito perigo para o adversario.

    Obrigado ao arbitro que, e preciso dizer, tambem foi amigo e para o Bruno: de marasmos estavamos todos fartos, queremos futebol e atitude, controlar jogando em funcao do adversario faz parte (como muitas vezes aqui e explicado neste blog), mas nao quando podemos vergar e fazer com que o adversario se perca e preferimos castrar a equipa de inteligencia suficiente para o fazer.

    • “Nao gostei nada do jogo. Lage demasiado preocupado em controlar, demasiado focado no adversario, adversario esse que e fragil e que ja tinha demonstrado fragilidades defensivas…”. Caro Nuno o Benfica partia na frente da eliminatória, tendo jogado contra Aves na 2a feira com um outro jogo contra o chaves na próxima 2a feira, com muitos jogadores a roçarem o desgaste máximo e com um jogo de “título” muito próximo….faz algum sentido o Lage fazer a equipa subir linhas e pressionar alto levando apenas e só para marcar golo quando ao Benfica apenas se lhe pedia para passar a eliminatória?
      Aliás o Galatasaray queria era isso, partir o jogo, obrigar a um jogar mais físico e proporcionar desgaste suplementar para que nas transicoes pudessem “ferir” o Benfica.
      Para mim o lage esteve muitíssimo bem, prepara um 11 para ter controlo defensivo e mais intensidade no meio campo e ao mesmo tempo com capacidade de resposta no contra ataque, o Galatasaray manteve a linha defensiva baixa obrigando o seu meio campo a carregar a equipa quase de baliza a baliza logo o Benfica conseguia controlar facilmente todas as iniciativas porque acabava por ter sempre mais um jogador nas imediações da bola….ora por cima na eliminatória com o jogo controlado q/b e deixar correr o tempo e pensar no chaves e a seguir no Porto

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*