A nova vida de Francisco Geraldes

Aos vinte e cinco anos Francisco Geraldes abandona o Sporting e ruma a Vila do Conde, onde já foi feliz.

Saúde-se a corajosa decisão de Francisco, que bem poderá ser o passo que o guiará ao rendimento que o seu potencial sempre prometeu. Trocou o conforto e o estatuto de jogador de clube grande, e chega a uma equipa de nível médio alto, que lhe proporcionará aquilo que o impediu de dar um salto qualitativo – Tempo de Jogo. Saúde-se a ambição! Porque por vezes, a decisão mais difícil de tomar é a que nos faz crescer.

Jogando incrementará até os níveis físicos que terão sido provavelmente a causa maior para não ter ainda cumprido o que de si se esperava. Mas, desengane-se quem pensa que porque não é um jogador de cadência de passada elevada não poderá atingir nível mais alto. É certo que dificilmente será um médio centro num 4x4x2 pelo seu perfil de características condicionais, mas tem argumentos técnicos para emergir em espaços curtos e tornar-se importante num método de ataque onde mais difícil é criar – Em ataque posicional. Francisco tem a competência para decidir quando acelerar ou pausar o jogo, e definir último passe. As últimas temporadas poderão até dar a sensação errada, mas mesmo próximo das zonas de finalização é um jogador com impacto. Ninguém faz onze golos em duas temporadas na Segunda Liga, e seis em outras tantas na Primeira, se não demonstrar também apetência e competência no gesto final.

Se o Sporting resgatou ao Rio Ave o rendimento de Nuno Santos, jogador da mesma geração de Geraldes, e que formado no SL Benfica e FC Porto se viu obrigado a procurar crescer noutro lado para voltar a um grande, também Francisco poderá estar agora a dar os passos certos para poder voltar. A lamentar talvez apenas o tempo perdido no Sporting. Não por responsabilidade de A ou B. Apenas porque não era o momento, o modelo ou a própria preparação para ter rendimento de Geraldes.

Portugal fica à espera que siga o caminho de Nuno. Jogar, Render e Voltar ao topo – 2020/2021 poderá ser o renascer competitivo de quem vai perfeitamente a tempo de dar uma volta no seu destino.

Já és nosso Patrono? Clica na Imagem abaixo e ajuda-nos a chegar aos 400. Por 1$ mês acesso a conteúdo exclusivo:

Paolo Maldini
Sobre Paolo Maldini 3735 artigos
Pedro Bouças - Licenciado em Educação Física e Desporto, Criador do "Lateral Esquerdo", tendo sido como Treinador Principal, Campeão Nacional Português (2x), vencedor da Taça de Portugal (2x), e da Supertaça de Futebol Feminino, bem como participado em 2 edições da Liga dos Campeões em três anos de futebol feminino. Treinador vencedor do Galardão de Mérito José Maria Pedroto - Treinador do ano para a ANTF (Associação Nacional de Treinadores de Futebol), e nomeado para as Quinas de Ouro (Prémio da Federação Portuguesa de Futebol), como melhor Treinador português no Futebol Feminino. Experiência como Professor de Futebol no Estádio Universitário de Lisboa, palestrante em diversas Universidades de Desporto, Cursos de Treinador e entidades creditadas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). Autor do livro "Construir uma Equipa Campeã", e Co-autor do livro "O Efeito Lage", ambos da Editora PrimeBooks Analista de futebol no Canal 11 e no Jornal Record.

2 Comentários

  1. Acho que se o Francisco Geraldes procurasse em apostar em melhorar a finalização, um pouco à imagem do que o Pizzi fez nos últimos anos, ia diferenciar-se muito e ser jogador de seleção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*