“Vai à linha e cruza!”… Nuno Mendes sorri, e rejeita

O Sporting venceu o Boavista no Bessa, em mais um jogo onde os leões mostraram a sua qualidade e capacidade para defrontar qualquer equipa do nosso campeonato. Nuno Santos e Porro marcaram os golos da vitória, mas quem viu o jogo viu, mais uma vez, o jovem Nuno Mendes em destaque no ataque leonino. Destemido, muito rápido e forte fisicamente, o leãozinho de Alcochete continua a mostrar uma capacidade muito interessante no cruzamento, onde Sporar ficou a dever (mais uma vez) um par de assistências ao jovem português.

Devido ao estilo de jogo do Sporting, e pela vantagem que normalmente ganha nos corredores (frente ao Boavista foi mais um bom exemplo), Nuno Mendes acaba por ter muitas oportunidades de cruzamento ao longo dos jogos. O jovem português é o sexto lateral/ala da liga que mais cruza, a sua taxa de acerto nem é das melhores (o Sporting joga muitas vezes sem ponta-de-lança, ou sem uma ameaça concreta no jogo aéreo), mas o gesto técnico do jovem leonino e a sua interpretação do momento para cruzar tem-se destacado, principalmente porque prioriza os cruzamentos em zonas mais recuadas, indo contra a famosa expressão de “ir à linha cruzar”. Bem pelo contrário, Nuno Mendes cruza muitas vezes sem sequer entrar na zona da área adversária, como podemos ver nas imagens em baixo, onde também podemos comparar com as zonas onde Zaidu e Grimaldo mais cruzam.

Ora, mas qual a vantagem de cruzar de uma zona em que se está mais longe da baliza? Será precipitação de um jovem sem experiência? Nervosismo? Nem por isso. Com as defesas cada vez melhor organizadas no último terço, este tipo de cruzamentos tem-se tornado cada vez mais valioso. Num momento em que os defesas estão ou em recuperação, ou organizados mas fora da grande área, torna-se muito mais difícil controlar o espaço onde a bola vai entrar, principalmente se for entre os defesas e o guarda-redes, que Nuno Mendes tanto explora, e bem.

Costuma-se dizer que o momento mais perigoso para uma defesa e quando os seus jogadores estão virados para a própria baliza, e vemos que isso é algo muito comum no momento da decisão de variados cruzamentos de Nuno Mendes. Tentar explorar uma defesa em movimento, em vez de cruzar com os defesas organizados, no último terço e a atacar a bola de frente. O Sporting, apesar de não ter grandes referências no jogo aéreo ou dominadores na área, conta com Nuno Santos e Pote, que são dois jogadores muito agressivos no ataque à área adversária em momentos de ataque rápido ou contra-ataque. Nas imagens em baixo, podemos ver três exemplos, em jogos distintos e situações distintas onde o jovem português encontrou um colega em boas condições para fazer golo, quando em quase todas elas poderia ter optado por continuar a progredir através do drible, ou tentar o 1v1 frente ao defesa:

Nos últimos jogos, e lembrando-me facilmente das assistências ou participações diretas em golos, Nuno Mendes foi importantíssimo nas vitórias frente ao Braga, frente ao Nacional e ontem, frente ao Boavista. Há muito tempo que não víamos um lateral português tão jovem (18 anos) a ter tanto impacto num dos grandes portugueses. Ainda com muito para crescer, mas com um potencial tremendo, não admira que haja muitos tubarões já interessados no jovem do Sporting. Deixamos então alguns dos seus melhores cruzamentos em zonas recuadas desta época, que ainda nem a metade vai:

Os nossos Videos são criados com

Sobre RobertPires 75 artigos
Rodrigo Carvalho. 23 anos, experiência como treinador adjunto e analista em equipas séniores em Portugal e nos Estados Unidos. Passou pela Federação de Futebol dos Estados Unidos no departamento de Formação de Treinadores. Em colaboração com a Proscout, trabalhou diretamente com equipas técnicas profissionais e produziu relatórios de jogadores. Podem seguir muito do seu trabalho em @rodrigoccc97 no Twitter.

1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*