O Triplo de Ruben Amorim – Curtas do Derby do Leão

Não há outra forma de o dizer, o Sporting joga o triplo do Benfica e nesta vitória, há muito dedo de Ruben Amorim pela competência tremenda que o Sporting demonstra nos diferentes momentos do jogo. Também pelo facto de a linha defensiva que apresentou na Luz estar bem longe do nível desejado para um clássico, o treinador leonino merece elogios pela forma como a mesma se organiza e se alinha.

  • Primeira-Parte marcada por uma maior supremacia do Sporting com várias oportunidades, sobretudo em contra-ataque/ataque rápido e Matheus, Sarabia e Pote a um nível incrível neste momento do jogo. Entrada forte da equipa leonina, marcada pelo golo inicial após uma grande jogada no corredor direito, brilhantemente finalizada por Sarabia e assistida por Pote
  • Benfica com mais bola, mas muito depende de desequilíbrios individuais, embora conseguindo criar algumas situações de perigo pelos corredores laterais criando desconforto na linha defensiva verde e branca
  • Sporting a orientar a construção do Benfica sempre para o corredor lateral para pressionar posteriormente, esperando num bloco médio, não tão alto quanto têm sido que permitiu várias saídas bem definidas em contra-ataque pela qualidade dos três da frente e de Matheus Nunes
  • Ofensivamente, Sporting a conseguir desencaixar do Benfica que optava pela habitual pressão individual a campo inteiro e com a mobilidade (apoio e rutura) dos três da frente foi desmontando a equipa encarnada
  • Segunda-Parte com uma entrada forte do Benfica, e num período onde a equipa de Jorge Jesus se encontrava melhor, o Sporting chegou ao 2-0 numa jogada incrível de Matheus Nunes, finalizada por Paulinho
  • O Benfica continuou com mais bola no meio campo do adversário, o Sporting a controlar e a continuar a sair em contra-ataque até fazer o 3-0 numa excelente saída de pressão com finalização do sempre incrível Matheus Nunes

De salientar, por fim, a excelente exibição de Ugarte que, na sua estreia a titular para o campeonato, foi extremamente importante na recuperação de bola e quando a recebia, sempre sereno e a ligar o jogo da equipa leonina. Uma exibição muito competente da equipa de Ruben Amorim, com sorte à mistura em momentos decisivos do jogo, mas sem nunca colocar em causa a sua vitória.

Sobre Pirlo 124 artigos
Apaixonado pelo jogo e pela análise. É o pormenor que me move na procura do conhecimento. Da análise ao jogo, passando pelo treino, o Futebol é a minha grande paixão.

7 Comentários

  1. para o Benfica nao tinha nada que saber. era jogar com o Seferovic a segurar os dois centrais e o Darwin encostado a esquerda. Tantas vezes que o joao Mario recebeu sozinho e pode virar, principalmente depois dos amarelos aos jogadores do sporrting nos primeiros minutos, que bastava ter o Darwin a acelerar colado a linha, aproveitando o adiantamento do Porro, para, das duas uma, ou explorar as costas através de passes na diagonal (sempre mais fáceis) para o Darwin, ou obrigar a defesa a afundar para o rafa e os laterais do Benfica poderem aproveitar o espaço aberto no meio, entre os 3 atacantes do Sporting e a defesa. Nesse caso, uma vez ja instalados no meio campo contrario, sempre tinha 2 pontas altos e com bom jogo de cabeça para aproveitar os centros e a falta do coates e do palhinha. Nao tinha nada que saber.
    O mestre fez tudo ao contrario, tudo. nem me vou alongar muito mas o almeida foi uma desgraca, como era previsível que fosse. nunca devia ter saído o lázaro. Desaproveitou o Darwin completamente entregando o aos centrais para jogar de costas. o Everton nao fez nada, mais uma vez.. o rafa nunca serviu para segundo avançado contra equipas que nao se abrem. Serao precisas mais 50 tentativas para compreender? outro completamente desaproveitado.
    o Vertonghen no segundo golo da pena.
    O Yaremchuk, a serio?

  2. Como benfiquista, sou obrigado a concordar que estamos muito aquém do que podemos fazer. Ainda assim, temos muito campeonato pela frente, temos um jogo importantíssimo a meio da semana e não sinto que a equipa esteja tão mal quanto parece. Vimo-nos hoje vergados a uma derrota pesada porque do outro lado esteve uma equipa muito GRANDE à qual devemos tirar o chapéu e dizer “parabéns, foram superiores, são bastante melhores do que nós, e só temos que olhar para o exemplar trabalho que estão a relaizar há quase 3 anos”.

    Com humildade, de forma lúcida, sem complexos, à Benfica, temos que respeitar este tremendo rival que há bem pouco tempo (convém não esquecer) fez gato-sapato do poderosíssimo Dortmund. Quando assim é, nada a dizer …

  3. Independentemente de o Benfica ter tido oportunidades claras em momentos chave que poderiam alterar o curso do jogo, a verdade é que o desconforto da equipa do Benfica foi evidente. Posicionamentos errados em todos os setores deixando várias vezes o Sporting em superioridade numérica e/ou cedendo espaços incríveis.
    Incapacidade de sair a jogar desde trás. Passes falhados até à exaustão. Cruzamentos e mais cruzamentos. Parecia uma equipa pequena e mal organizada.
    É incompreensível a falta de consistência do Benfica desde a vitória na luz contra o Barcelona. Até aí o Benfica parecia preparado para arrancar uma época de muito bom nível a par com o Sporting e o Porto abaixo, agora parece incapaz de competir ao nível do Sporting e Porto. Acredito que o Porto vá ter aa habituais oscilações com o SC mas ainda assim neste momento é o Benfica que oscila e muito.
    Pode ainda passar na Champions e isso será um feito e pode até ser campeão. Mas há uma nitida incapacidade de ser consistente jogo após jogo e isso nãotem qualquer justificação aceitável. JJ não foi capaz de criar uma equipa de facto até ao momento em época e meia. O plantel terá desequilíbrios? Sim e qual não tem dos 3 grandes? Quanto se investiu nesta época e meia e qual a capacidade do treinador em criar com esta matéria prima?
    E ainda por cima continua com as suas fanfarronices de dizer que conhece os sistemas de 3 centrais desde a pré história… mas claramente está a levar um valente bigode do miúdo Amorim.
    Nunca achei boa ideia o regresso do JJ e mesmo noutros tempos sempre fui crítico de alguns aspetos dele. Acho que o Benfica precisa de sangue novo e o JJ precisa do Flamengo (embora tenha que enfrentar o Hulk e possa cair na tentação de pôr novamente o David Luiz a lateral esquerdo…).

  4. Não deveria o Benfica de jogar muito mais? Em todos os momentos do jogo, o ofensivo está super dependente das individualidades, colectivo zero. Mas defensivamente não tinha que fazer muito mais? Tem jogadores para isso. Individualmente as equipas não estão assim tão distantes.

    JJ a sofrer do mesmo mal do Mourinho e a não querer admitir que está ultrapassado e tem que se renovar?

  5. Eu apontaria o Matheus como o homem do jogo, seguido do G.Inácio, que fez uma jogatana sem dar muito nas vistas.
    O Ugarte surpreendeu-me, ele que é de origem um “8” e varreu aquele meio campo, sempre a jogar simples.
    O Pote ao nível habitual, apenas não marcou, mas a assistência para o 1º é de almanaque – e golaço do Sarabia

1 Trackback / Pingback

  1. O Triplo de Ruben Amorim Curtas do Derby do Leão Lateral Esquerdo – Info Desporto

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*